O Tribunal da Feira condenou esta quinta-feira a penas entre 10 e 24 meses de prisão suspensa quatro arguidos, com idades entre os 56 e 75 anos, por aliciamento para fins sexuais e recurso à prostituição de menores.

O coletivo de juízes deu como parcialmente provados os factos constantes da acusação do Ministério Público (MP).

A pena mais gravosa, 24 meses, foi aplicada a um homem de 56 anos que foi condenado por um crime de aliciamento de menores para fins sexuais e outro de pornografia de menores.

Este arguido terá ainda de pagar uma indemnização de mil euros a uma das vítimas.

A mulher do arguido, de 46 anos, também foi condenada a 10 meses de prisão por um crime de aliciamento de menores para fins sexuais.

O tribunal condenou ainda a 20 e a 14 meses de prisão, respetivamente, um reformado de 69 anos, de Arouca, por quatro crimes de recurso à prostituição de menores, e um comerciante de 75 anos, de Oliveira de Azeméis, por dois crimes de recurso à prostituição de menores.

Todos os arguidos vão ter de frequentar um programa de reabilitação para agressores sexuais.

Os arguidos estão ainda proibidos de exercer qualquer profissão que envolva contacto regular com menores pelo período de 10 anos, para o casal, e 15 anos para os outros dois acusados.

Segundo a acusação do MP, os factos ocorreram em 2016, quando o casal e os outros dois arguidos que não têm qualquer ligação entre si decidiram envolver-se sexualmente com menores que decidiram prostituir-se.

/ RL