No próximo dia 29 de março vai realizar-se um novo voo de repatriamento entre Brasil e Portugal, anunciou a embaixada portuguesa em Brasília.

O voo parte de Campinas, no estado brasileiro de São Paulo, com destino a Lisboa e será operado pela companhia aérea Azul.

Informa-se que será realizado um voo, operado pela companhia aérea Azul, no dia 29 de março, entre Campinas, S.Paulo (Aeroporto Internacional de Viracopos) e Lisboa, autorizado pelo Governo Português e pelas autoridades competentes em matéria de aviação civil", indicou a embaixada na rede social Facebook.

Os "passageiros interessados e que cumpram os requisitos para embarque" deverão, segundo a embaixada, contactar a companhia aérea para proceder à marcação da viagem.

Informa-se que será realizado um voo, operado pela companhia aérea AZUL - Linhas Aéreas Brasileiras, S.A., no dia 29 de...

Publicado por Embaixada de Portugal em Brasília em  Sexta-feira, 19 de março de 2021

Os voos, comerciais ou privados, com origem ou destino no Brasil e no Reino Unido vão continuar suspensos até dia 31 de março, anunciou na segunda-feira o Governo, devido à pandemia de covid-19.

Tal como no anterior período de estado de emergência, continuam a ser permitidos apenas os voos de natureza humanitária, para repatriamento de cidadãos nacionais, da União Europeia e de países associados ao Espaço Schengen, e seus familiares, bem como de cidadãos nacionais de países terceiros com residência legal em território nacional.

Contudo, estes cidadãos têm de apresentar comprovativo de realização de teste laboratorial (RT-PCR) para rastreio da infeção por SARS-CoV-2, com resultado negativo, efetuado nas 72 horas anteriores ao momento do embarque, exceto crianças com menos de dois anos e têm de cumprir 14 dias de isolamento profilático.

Os voos de ligação aos respetivos países têm de ser aguardados num local próprio no interior do aeroporto.

São ainda permitidos voos de repatriamento de cidadãos estrangeiros que se encontrem em Portugal continental.

Os passageiros de países que tenham uma taxa de incidência igual ou superior a 500 casos por 100.000 habitantes têm, além do teste de despistagem, de cumprir um período de isolamento profilático de 14 dias, exceto quando a permanência em território nacional não exceda as 48 horas.

Os passageiros que cheguem a Portugal sem o comprovativo de realização do teste para despiste da infeção têm de o realizar no interior do aeroporto, a expensas próprias, e aguardar o resultado no aeroporto.

O Brasil, que atravessa agora o momento mais critico da pandemia, é o segundo país do mundo mais afetado, com 290.314 mortes e mais de 11,8 milhões de infeções, apenas atrás dos Estados Unidos.

/ CM