O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou, neste domingo, todos o continente em aviso amarelo, depois de, inicialmente, oito distritos terem estado sob aviso laranja devido à previsão de chuva e ventos fortes.

Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Vila Real e Viseu estiveram com aviso laranja, o que significa uma situação meteorológica de risco moderado a elevado, mas o mesmo foi, entretanto, levantado, passando a amarelo, tal como no resto do país, o que representa uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Há possibilidade de ocorrência de trovoada, bem como ventos moderados, soprando por vezes forte e com rajadas até aos 70 quilómetros/hora no litoral ou até aos 80 quilómetros/hora nas terras altas, aumentando de intensidade no final do dia.

Tanto para a Grande Lisboa como para o Grande Porto, as previsões são de céu muito nublado, períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes, e possibilidade de ocorrência de trovoada.

Em relação ao estado do mar, o IPMA alerta para ondas de noroeste na costa ocidental, com 2,5 a 3,5 metros de altura, podendo chegar aos 4,5 metros no final do dia.

Já na costa sul, as previsões são de ondas de sudoeste com 1 a 1,5 metros de altura, podendo oscilar entre os 1,5 e os 2 metros a partir da tarde.

Na sequência das previsões do IPMA, até segunda-feira, dia 21 de novembro, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) deixa algumas recomendações, nomeadamente desobstruir os sistemas de escoamento das águas pluviais, ter uma condução defensiva, reduzindo a velocidade, ou não atravessar zonas inundadas.

Por outro lado, desaconselha a prática de atividades marítimas, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos ou passeios à beira mar, evitando o estacionamento de viatura em zonas muito próximas da orla marítima.

Seis barras fechadas

 O agravamento das condições do mar obrigou ao encerramento, em Portugal Continental, de seis barras marítimas a toda a navegação, estando outras três condicionadas.

De acordo com a informação do Portal da Marinha, atualizada às 05:14, as barras marítimas de Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde e São Martinho do Porto estão encerradas.

Já a barra de Viana do Castelo está fechada a embarcações com comprimento inferior a 30 metros, enquanto a de Aveiro está fechada a embarcações com menos de 15 metros e a da Figueira da Foz está fechada a embarcações com menos de 35 metros de comprimento.

Na sexta-feira, a Autoridade Marítima Nacional avisou que o previsível agravamento do estado do tempo em Portugal pode provocar ondas que cheguem até aos cinco metros de altura, pedindo que se evitem passeios junto à costa.

O agravamento do estado do tempo vai-se fazer sentir sobretudo na zona norte de Portugal e na costa oeste, com especial incidência no domingo.

As condições meteorológicas podem levar à ocorrência de vento forte e de ondas que podem ir até aos cinco metros de altura.

Assim, a Autoridade Marítima recomenda um reforço às condições das embarcações amarradas e pede para que sejam evitados passeios junto à costa, sobretudo perto da rebentação.

 
Redação / CM - notícia atualizada