O Ministério da Saúde corrigiu, esta noite, o número de surtos em escolas avançado pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, na conferência de imprensa de balanço da situação epidemiológica no país.

"Por lapso", Lacerda Sales adiantou que havia 477 surtos ativos em escolas, desde creches a universidades, mas os surtos em estabelecimentos de ensino são apenas 68.

A grande maioria destes surtos foi identificada na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Por lapso, foram referidos os surtos ativos no país a 16/11/2020, identificados pela DGS, no total de 477, em detrimento do número de surtos ativos em creches/escolas/universidades (ensino público e privado), no total de 68, e que agora se clarifica", indica o Ministério em comunicado.

De acordo, ainda, com a tutela, os 68 surtos em escolas do continente "distribuem-se da seguinte forma: 3 na ARS Norte, 11 na ARS Centro, 50 na ARS LVT, 2 na ARS Alentejo e 2 na ARS Algarve".

Redação / CM