A PSP registou 1.898 ocorrências criminais em meio escolar no ano letivo 2017/2018, casos que diminuíram ligeiramente nos últimos três anos, indicou esta quinta-feira a Polícia de Segurança Pública.

A PSP divulgou os dados sobre as ocorrências criminais em meio escolar no âmbito da operação de combate ao ‘bullying’ que realiza a partir de sexta-feira nas escolas inserida no Dia Europeu da Vítima de Crime.

Segundo aquela Polícia, das 1.898 ocorrências criminais em meio escolar registadas no último ano letivo, 613 foram de injúrias e ameaças e 1.285 de ofensas corporais.

Os dados indicam também que a PSP registou 1.903 ocorrências no ano letivo 2016/2017, enquanto em 2015/2016 se verificaram 2.015.

Em comunicado, aquela força de segurança refere que se vai associar ao Dia Europeu da Vítima de Crime, que se assinala na sexta-feira, com uma campanha de prevenção do fenómeno do ‘bullying’, denominada “Stop bullying”.

Esta operação, que se realiza entre sexta-feira e 1 de março, consiste na realização de ações de sensibilização das Equipas do Programa Escola Segura (EPES) junto das escolas do segundo e terceiros ciclos do ensino básico, bem como do ensino secundário, em todo o país, com o objetivo de alunos, pais e professores estarem mais atentos a este tipo de violência.

Segundo a PSP, o objetivo passa por compreenderem “o impacto devastador que o mesmo acarreta, podendo comprometer o desenvolvimento saudável da criança/jovem, sendo necessário que todos estejam conscientes e sensibilizados para este tipo de fenómeno e, por sua vez, mais atentos a eventuais sinais de alerta”.

Aquela força de segurança indica que nos últimos anos tem procurado trabalhar em consonância com as várias instituições com vista a tratar diferentes problemáticas que ocorrem em ambiente escolar, onde se inclui o ‘bullying’, realizando milhares de ações de sensibilização nos estabelecimentos de ensino.

O ‘bullying’ carateriza-se pela prática de atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por uma pessoa ou em grupo, causando dor e angústia, sendo executados dentro de uma relação desigual de poder que pode deixar marcas para o resto da vida na pessoa atingida.

Apesar de não se tratar de um fenómeno novo, o ‘bullying’ tem ultimamente assumido contornos diferenciados, nomeadamente quando se recorre às novas tecnologias e sobretudo quando está associado às redes sociais.