Os mestres da Soflusa, empresa responsável pelas ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, vão realizar uma greve parcial, de três horas por turno, na próxima quinta e sexta-feira, pela contratação de novos profissionais, informou hoje fonte sindical.

Estes trabalhadores já se encontram a fazer uma greve às horas extraordinárias, no entanto, devido à “falta de profissionais” na Soflusa e aos “constrangimentos” associados, decidiram levar o movimento mais longe e paralisar na quinta e sexta-feira, segundo Carlos Costa da Fectrans - Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações.

Em 10 de maio, as ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa começaram a ser suprimidas pela falta de mestres, o que levou a empresa a anunciar, quatro dias depois, não conseguir prever quando iria repor o serviço.

Em declarações à Lusa, o sindicalista adiantou que neste momento apenas trabalham 21 mestres na Soflusa, encontrando-se três deles de baixa médica, mas para o serviço funcionar com qualidade deveriam existir “24 mestres”.

Além disso, explicou, com a implementação do passe Navegante, em abril, a empresa introduziu uma nova escala de serviços, mas como não estava “minimamente preparada para o fluxo de passageiros", acabou por verificar-se “um saturamento ainda maior à classe”.

Contactada pela Lusa, a empresa confirmou que vão existir perturbações no serviço nos dias de greve (23 e 24 de maio), as quais serão divulgadas hoje ao fim da tarde, na página da Soflusa.

Os mestres estão em greve às horas extraordinárias, depois do pré-aviso de greve do Sindicato dos Transportes Fluviais Costeiros e da Marinha Mercante, um protesto que se vai prolongar até 31 de dezembro.

Em 14 de maio, a empresa disse à Lusa, numa resposta por escrito, que abriu concurso para as vagas de mestres e “aguarda, a todo o momento, a autorização para a contratação” de mais trabalhadores.

Já no dia seguinte, o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, na reunião que teve com o Sindicato da Marinha Mercante, afeto à Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS), anunciou a contratação de seis marinheiros.

Na reunião, o que nos foi dito é que existe já um concurso interno para passar quatro marinheiros a mestres e que foi aberto um concurso para a contratação de seis marinheiros. Consideramos que é insuficiente para enfrentar as necessidades”, disse o sindicalista Frederico Pereira.

A Soflusa admitiu que existirão perturbações no serviço na próxima quinta e sexta-feira devido à greve dos mestres da empresa.