O Colégio Nossa Senhora do Rosário voltou a ser a instituição de ensino secundário que registou a melhor média nos exames nacionais. O estabelecimento do Porto teve uma média de 17,6 nas provas realizadas em 2020, ficando mais de duas décimas acima do segundo classificado, o Colégio D. Diogo de Sousa, em Braga.

De resto, e repetindo uma tendência que há muito se verifica, as 10 escolas com melhores médias são todas do ensino privado, dividindo-se entre os distritos de Lisboa e Porto, havendo ainda uma no distrito de Braga e outra em Aveiro. 

Melhores escolas do país

Concelho Escola Média de Exame
Porto Colégio Nossa Senhora do Rosário 17,61
Braga Colégio D. Diogo de Sousa 17,38
Porto Grande Colégio Universal    17,16
Lisboa Colégio de S. Tomás  16,92
Anadia Colégio de Nossa Senhora da Assunção 16,92
Lisboa Colégio São João de Brito 16,75
Loures Colégio Integrado de Monte Maior 16,74
Paços de Ferreira Colégio Nova Encosta 16,64
Porto Colégio Luso-Francês 16,45
Gondomar Colégio Paulo VI de Gondomar 16,43

Num ano letivo que foi apanhado a meio pela pandemia de covid-19, as escolas tiveram de remodelar o sistema de ensino, começando por fechar todos os estabelecimentos, para depois passarem ao ensino à distância.

A grande preocupação de Governo, pais, professores e alunos era os exames nacionais. Talvez por isso se fizeram regras especiais, que acabaram por permitir que muitos estudantes inflacionassem a média, o que agora se confirma neste ranking.

Se em 2019 o Colégio Nossa Senhora do Rosário tinha sido o melhor, tal só foi possível graças a uma média de 15,61 nos exames nacionais. Essa mesma média subiu em 2 valores este ano, sendo que, também em 2018 e 2017 tinha sido de 15,5 e 15, respetivamente.

O segundo lugar é também uma repetição, sendo já uma presença habitual entre as 10 primeiras. Destaque para as alterações no que diz respeito ao distrito de Lisboa, que no ano passado colocava cinco escolas entre as 10 melhores, e que este ano tem apenas três, sendo que todas são novas entradas.

O caminho inverso foi feito por instituições como o Colégio Moderno ou os Salesianos, que deixam assim o top 10.

Os distritos de Coimbra e de Setúbal deixam de ter representação (tinham o Colégio da Rainha Santa Isabel e o Colégio St. Peter's School, respetivamente), entrando para a lista o distrito de Aveiro, com a escola de Anadia.

Em sentido inverso, o ranking das escolas com piores médias nos exames nacionais é dominado por estabelecimentos de ensino público. Entre as 10 piores existe apenas uma privada, o Externato Académico, no Porto.

A pior escola do país neste ranking foi a Escola Secundária José Cardoso Pires, que teve uma média negativa (9,2) nos exames nacionais de 2020.

Piores escolas do país

Concelho Escola Média de Exame
Porto Escola Secundária do Lumiar 10,52
Lisboa Escola Secundária António Nobre 10,5
Porto Escola Básica e Secundária D. João V 10,5
Amadora Escola Secundária D. Dinis 10,43
Lisboa Escola Básica e Secundária Francisco Simões 10,36
Almada Escola Básica e Secundária Passos Manuel 10,31
Lisboa Escola Secundária Dom Manuel Martins 10,2
Setúbal Escola Secundária Matias Aires 10,18
Porto Externato Académico 9,93
Loures Escola Secundária José Cardoso Pires 9,22

A inflação nas notas relativamente aos anos anteriores também se nota nas piores escolas. Se compararmos com os três anos anteriores, existe uma diferença considerável nas classificações. No ano de 2020, a pior escola foi a Secundária José Cardoso Pires, em Loures, com uma média de exame de 9,22.

Ora, acontece que, em 2019, 2018 e 2017, a melhor das piores 10 escolas nunca foi além de uma classificação de 8,5. De resto, a piores classificadas nesses três anos tiveram sempre valores abaixo de 8, sendo que em 2017 foi mesmo de 7,07, na altura a Escola Básica e Secundária de Santo António, em Setúbal.

A Escola Secundária José Cardoso Pires volta a repetir a presença nesta lista, sendo o terceiro ano consecutivo que tal acontece. A Escola Básica e Secundária Passos Manuel também repete a presença indesejada na lista.

De referir ainda a inclusão do Externato Académico, a única escola privada entre as piores, algo que não se tinha verificado no ano transato.

Desta forma, apenas duas escolas, uma pública e outra privada, obtiveram média negativa nos exames nacionais do secundário em 2020, segundo uma análise feita pela Lusa, que revela que os colégios continuam a ter melhores resultados.

Para o ‘ranking’ das escolas do ensino secundário com melhores médias, a agência Lusa selecionou apenas aquelas onde tinham sido realizadas pelo menos 100 provas.

Já para chegar às médias das classificações conseguidas nas diferentes disciplinas, assim como as médias por distrito, foram contabilizadas todas as provas realizadas. A análise contempla 225.307 exames realizados.

A pandemia de covid-19 levou o Governo a suspender, no ano letivo de 2019/2020, as provas nacionais do 9.º ano, razão pela qual este ano não existem peças sobre resultados nesse ciclo de ensino.

No secundário, pela primeira vez, os dados enviados pelo Ministério não fizeram qualquer distinção entre alunos internos e externos.

Também este ano, a Lusa não analisou os dados relativos às notas internas dos alunos (CIF) uma vez que os dados disponibilizados pelo Ministério eram provisórios e a sua validação estava ainda em curso pelos serviços.

António Guimarães / com Lusa