Há 20 feridos confirmados nos incêndios que deflagraram este sábado no distrito de Castelo Branco e que se propagaram a Mação, no distrito de Santarém. Oito feridos são bombeiros e 12 são civis. O balanço foi feito pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na manhã deste domingo, na sede da Proteção Civil, em Carnaxide.

Registámos 20 feridos, oito bombeiros e 12 civis. De todos eles, apenas um regista cuidados, todos os outros já saíram das unidades em que foram tratados", confirmou o ministro Eduardo Cabrita, em declarações aos jornalistas.

Um civil, que está internado na unidade de queimados do Hospital de São José, em Lisboa, "encontra-se com prognóstico reservado".

Os restantes são todos feridos ligeiros, sobretudo devido a “inalação de fumos e entorses”, referiu.

O ministro disse que os órgãos de polícia criminal estão a investigar as causas dos incêndios, manifestando “estranheza” por terem começado “separados por poucos minutos”. Em cerca de uma hora, deflagraram "cinco incêndios de dimensão significativa numa zona muito próxima". 

Entre as 14:30 e as 15:30, cinco incêndios de dimensão significativa [deflagraram] numa zona muito próxima. Essa estranheza foi desde o inicio transmitida quer pelos bombeiros locais quer pelos autarcas", vincou.

Questionado se terá havido mão criminosa nos incêndios, afirmou que não cabe ao Governo nem à Proteção Civil investigar esta matérias, mas sim aos órgãos de polícia criminal.

Mas, sublinhou, “o que é fundamental neste momento é a resposta à ocorrência de Proteção Civil”.

Sobre a atuação do Sistema Integrado de Redes de Emergência de Segurança de Portugal (SIRESP), o ministro garantiu que “tem estado totalmente operacional”, adiantando que foram colocadas na zona unidades de redundância que não chegaram a ser utilizadas.

De acordo com o ministro, o Governo tem estado a acompanhar “de perto” os incêndios iniciados nos concelhos da Sertã e Vila de Rei.

Eduardo Cabrita manifestou a sua “total solidariedade” com as populações das zonas mais diretamente abrangidas pelos incêndios e deixou uma “palavra de reconhecimento” pelo “trabalho muito empenhado, muito profissional” de todos os agentes de proteção civil e pela “forma exemplar” como todas as estruturas de posicionaram no terreno.

De acordo com a página da internet da Proteção Civil, pelas 11:45 estavam 820 operacionais apoiados por 251 meios terrestres e 14 meios aéreos a combater o incêndio ainda ativo no concelho de Vila de Rei, que alastrou ao concelho de Mação, distrito de Santarém,.