O jovem detido na noite passada em Santo António dos Cavaleiros, concelho de Loures, saiu esta terça-feira em liberdade, indiciado por fogo posto, e o processo baixou a inquérito para investigação do Ministério Público (MP), com a colaboração da PSP.

A informação foi avançada à agência Lusa por fonte policial, acrescentando que o arguido, de 18 anos, após presente ao MP no Tribunal de Loures, ficou sujeito à medida de coação de Termo de Identidade e Residência, indiciado dos crimes previstos no "Artigo 272 do Código Penal - Incêndios, explosões e outras condutas especialmente perigosas".

O jovem é suspeito de ter ateado fogo a vários caixotes do lixo nas proximidades do Bairro da Cidade Nova, na vila de Santo António dos Cavaleiros, no concelho de Loures, distrito de Lisboa.

Em comunicado divulgado anteriormente, a PSP deu conta de que quatro viaturas foram incendiadas cerca das 21:40 de segunda-feira na Póvoa de Santo Adrião (duas) e em Odivelas (duas), no distrito de Lisboa, e que, na sequência destes incidentes, foram incendiados e destruídos 11 caixotes do lixo e danificadas outras cinco viaturas na zona circundante ao Bairro da Cidade Nova.

No seguimento destes factos, a Polícia de Segurança Pública desenvolveu diligências e investigações que permitiram intercetar quatro suspeitos, tendo sido detido um indivíduo do sexo masculino, de 18 anos de idade, depois de reconhecimento por testemunhas como um dos autores do lançamento dos engenhos incendiários”, explicou a polícia.

No comunicado, a PSP acrescenta que já durante a madrugada, pelas 03:15, na Bela Vista, Setúbal, foram lançados três 'cocktails Molotov' contra uma esquadra.

Não houve registo de feridos, mas observaram-se danos na esquadra e numa viatura civil”, adianta a PSP, sublinhando que “não foram ainda identificados os suspeitos desta ação criminosa”.

Perante estes incidentes registados durante a noite passada, com o lançamento de “cocktails Molotov” contra uma esquadra e o incêndio de caixotes e de várias viaturas, a PSP anunciou esta terça-feira o reforço do policiamento com elementos da Unidade Especial de Polícia na Bela Vista, em Setúbal, e em algumas zonas de Loures e Odivelas (distrito de Lisboa).

A PSP informou ainda que continua as investigações a estes incidentes, “nada indiciando, até ao momento, que estejam associados à manifestação” de protesto, ocorrida horas antes no centro de Lisboa contra uma intervenção policial no Bairro da Jamaica, no Seixal (Setúbal), da qual resultaram quatro detenções.