O Minstério da Administração Interna afirmou esta quarta-feira que vai abrir um inquérito à atuação da polícia relativa à detenção de Cláudia Simões na Amadora, este domingo.

Em comunicado enviado à TVI, o Ministério da Administração Interna diz que "determinou à Inspeção Geral da Administração Interna (IGAI) a abertura de um inquérito para apuramento dos factos relacionados com a atuação policial ocorrida domingo, na Amadora, após o pedido de intervenção do motorista de um autocarro de passageiros".

O mesmo comunicado refere ainda que a PSP irá transmitir à IGAI todos os elementos da averiguação interna que tem estado a realizar.

Cláudia Simões foi detida numa paragem de autocarro na Amadora, distrito de Lisboa, depois de um desentendimento com o motorista de um autocarro. Foi acusada de agredir o agente, mas diz-se vítima de agressões da polícia quando se encontrava algemada.

O polícia terá pedido a identificação à mulher, que terá recusado, tendo de seguida sido detida à força. Terá sido então que o agente foi mordido no braço, tendo de receber tratamento hospitalar.

Ele estava a sufocar-me, estava a apertar-me as goelas, tive de o morder porque se não morria. Não estaria aqui para contar a minha história", descreveu Cláudia Simões à TVI, referindo-se ao momento da detenção.