Um administrador, o diretor e o supervisor do setor da produção da Adubos de Portugal (ADP) estão entre os nove acusados pelo Ministério Público (MP) no caso do surto de legionella em Vila Franca de Xira, em 2014.

Segundo o despacho de acusação do MP, a que a agência Lusa teve hoje acesso, além de João Cabral, José Carvalhinho e Eduardo Ribeiro, respondem ainda neste processo quatro funcionários, todos engenheiros químicos, da General Eletric (GE), empresa contratada pela ADP Fertilizantes para fiscalizar e monitorizar as torres de refrigeração.

O MP sustenta que o surto de legionella no concelho de Vila Franca de Xira, com início em novembro de 2014, foi causado pela "manifesta falta de cuidado” dos arguidos, que não cumpriram “um conjunto de regras e técnicas na conservação/manutenção” de uma das torres de refrigeração da ADP.