A Câmara do Porto decidiu, esta terça-feira, criar um grupo de trabalho para avaliar “a dimensão técnica e jurídica” da instalação de gruas, para evitar quedas como a de sábado nas Fontainhas, a segunda em dois meses.

Na reunião camarária pública, o PS apresentou uma recomendação com vista à constituição de um grupo de trabalho e o presidente da autarquia, Rui Moreira, leu um comunicado com a mesma proposta com o objetivo final de “propor medidas” para garantir a segurança das estruturas e dos cidadãos, o que contou com o apoio da CDU e do PSD.

Moreira explicou que a decisão de suspender as licenças para instalação de gruas e “intensificar” a fiscalização às infraestruturas – “cerca de 100 na cidade” - na sequência do caso das Fontainhas não significa “que a Câmara não tenha estado a atuar” no problema, tendo mesmo determinado a “desmontagem coerciva de várias”.

No sábado, depois de a queda de uma grua na zona das Fontainhas ter provocado três desalojados e danos materiais em nove casas, o autarca decidiu suspender as licenças para a instalação de gruas no espaço público e fiscalizar todas as existentes na cidade, mesmo as que estão em espaço privado.