Os trabalhos de reparação da Ponte da Arrábida começam na segunda-feira, devendo estender-se até 1 de junho, o que vai obrigar ao condicionamento do trânsito, de forma faseada, nos dois sentidos, informou, esta quinta-feira, a Infraestruturas de Portugal (IP).

Em comunicado a empresa revela que, "como havia sido anunciado, e após a intervenção preventiva de retirada controlada do betão destacado que a IP realizou na noite de 15 para 16 de maio, dá-se agora início à intervenção de tratamento e proteção do recobrimento da estrutura", na zona inferior do tabuleiro da Ponte da Arrábida.

Segundo a IP, para a realização dos trabalhos de saneamento e reparação do betão na zona inferior do tabuleiro da Ponte da Arrábida, será necessário implementar restrições à circulação no tabuleiro, "sempre em período noturno de modo a minimizar os impactos na mobilidade das pessoas".

Assim, de 27 e 30 maio, entre as 22:00 e as 06:00, vai ser suprimida a vida da direita no sentido Porto - Gaia, e de 30 de maio a 1 de junho, no sentido Gaia-Porto.

De acordo com a IP, seguem-se os trabalhos de recobrimento de armaduras que se iniciam a partir de 17 junho, por um período de duas semanas.

Esta intervenção surge na sequência da queda de vários pedaços de argamassa do tabuleiro da ponte, na noite de 14 maio, que levou a Câmara do Porto a proceder ao corte do trânsito, por precaução.

À data, a IP e Ministério da Infraestruturas garantiam que se trata de argamassa de revestimento superficial, não existindo nenhum dano estrutural na ponte, pelo que a sua "estabilidade e segurança não está em risco".

Os trabalhos preventivos arrancaram um dia após a queda dos pedaços de argamassa, tendo sido contratada para o efeito "uma plataforma bybridge que permitirá dar início aos trabalhos de remoção controlada

Na altura, a IP anunciava ainda que, em data a anunciar brevemente, seriam também executados trabalhos de revestimento e proteção das vigas.

A Ponte da Arrábida, que liga o Porto e Vila Nova de Gaia, é Monumento Nacional desde 2013 e segundo a IP tem sido objeto de inspeções regulares, a última em 2013, estando prevista para este ano uma nova inspeção principal.

Em resposta à Lusa, a empresa pública esclareceu, à data, que desta "inspeção resultou uma classificação de EC2, ou seja, com um estado de conservação bom", pelo que, de acordo com o determina o Sistema o Sistema de Gestão de Obras de Arte (SGOA), a realização de uma próxima Inspeção Principal seria realizada num intervalo de 6 anos.

A IP salientava ainda que tem contrato com o LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil para "a realização de inspeções anuais às Obras de Arte especiais, nas quais se inclui a Ponte da Arrábida, sendo que o último relatório de inspeção do LNEC a esta estrutura é de janeiro de 2019".