Um incêndio deflagrou esta tarde no Palácio da Justiça, no Campo dos Mártires da Pátria, no Porto, tendo sido já extinto.

No local estiveram vários operacionais dos Bombeiros Sapadores do Porto e pelo menos três veículos. Não há vítimas a registar.

O incêndio deflagrou na cobertura do tribunal, que está em obras, por causa de um maçarico. Todas as pessoas que estavam no edifício foram retiradas.

O que aconteceu foi que estava a ser colada uma tela asfáltica na cobertura do edifício com recurso a um maçarico e que terá começado um incêndio que se alargou mais aos outros rolos da tela que estavam no telhado, do que propriamente ao edifício”, explicou aos jornalistas o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, que se deslocou ao local, dizendo ainda que "felizmente, foi mais fumo que fogo".

O alerta para a ocorrência foi dado às 15h27 e o fogo foi controlado em meia hora.

Grande parte do incêndio foi no exterior. Pode haver alguns danos em pequenos gabinetes, mas nada de maior", disse ainda o autarca.

Governo confirma operacionalidade do Palácio da Justiça do Porto após incêndio

O Palácio de Justiça do Porto vai poder voltar à normalidade, ultrapassado o incêndio esta sexat-feira verificado no telhado do edifício durante uma impermeabilização com tela asfáltica, confirmou em comunicado o Ministério da Justiça.

O incêndio que deflagrou cerca das 15:28 e atingiu a cobertura do edifício onde funciona o Tribunal da Relação do Porto não provocou feridos e os danos materiais não tiveram grande expressão, tendo sido dado como extinto às 15:55.

Em declarações após o incêndio, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira afirmou que “estava a ser colada uma tela asfáltica na cobertura do edifício com recurso a um maçarico e que terá começado um incêndio que se alargou mais aos outros rolos da tela que estavam no telhado, do que propriamente ao edifício”.

Lê-se ainda no comunicado do ministério, que o “edifício foi evacuado de acordo com todas as regras de segurança, não havendo lesões físicas a lamentar”.

“O incêndio mostra-se já extinto. Em função da rápida e eficaz intervenção do Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto não se registaram danos de maior”, acrescenta a nota.

O comunicado termina com a informação de que o “Ministério da Justiça transmitiu já ao Presidente do Tribunal da Relação do Porto a sua solidariedade e disponibilidade para cooperar no que for considerado necessário”.

Lisete Reis Agência Lusa / - notícia atualizada às 16:46