O número de profissionais de saúde ausentes no Hospital de Santarém subiu esta sexta-feira para 91, avançou fonte hospitalar à TVI.

Em declarações esta quinta-feira à TVI,a dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, Helena Jorge, disse que o hospital tem tido muita dificuldade em contratar profissionais, o que leva a que se "denote muito cansaço nas equipas médicas que estão sobrecarregadas com trabalho extraordinário". 

Helena Jorge critica ainda a política da contratação da direção do hospital, sublinhando que nenhum enfermeiro vai querer aceitar "um contrato de apenas quatro meses". 

Até ao momento, sabe-se que este surto de covid-19 começou no serviço de medicina e que há 33 casos positivos.

Na terça-feira, o Hospital Distrital de Santarém (HDS) divulgou um comunicado dando conta de 15 profissionais infetados com o vírus que provoca a covid-19 – 10 enfermeiros, três assistentes operacionais, um médico e uma assistente técnica.

Os casos foram conhecidos na sequência de uma despistagem a “todos os contactos de risco”, realizada depois de ser conhecido um caso de infeção de um profissional do serviço de Medicina, situação que levou também à “descontaminação profunda” dos espaços.

A administração afirmava ainda ter procedido à “reorganização e distribuição das equipas de enfermagem e dos doentes internados”.

Alertando que “ainda há muita população que não cumpre” as medidas de prevenção, o HDS emitiu na quarta-feira um apelo a que, antes de se dirigirem ao hospital, os cidadãos “liguem primeiro para a Linha Saúde 24, através do número 808 24 24 24”.

Por outro lado, apela ao cumprimento das medidas de prevenção, como uso de máscara, tossir para um lenço, papel ou braço, manter o distanciamento social, lavar frequentemente as mãos, usar álcool gel e tomar a vacina da gripe.