A ministra da Saúde, Marta Temido, avançou esta quarta-feira que o calendário de entrega das vacinas contra a covid-19 foi antecipado pela farmacêutica Pfizer. Ainda este ano, Portugal vai receber mais 70.200 doses do que estava previsto, que eram 9.750.

As primeiras doses chegam sábado a Portugal (dia 26 dezembro)", anunciou a ministra da Saúde, em conferência de imprensa sem direito a perguntas, acrescentado que as 9.740 vacinas começam a ser administradas no dia 27 de dezembro.

A segunda entrega das vacinas está agora prevista para o dia 28 de dezembro.

São 70 200 doses que permitem alargar o universo de profissionais a vacinar com esta primeira fase. No Natal e dias a seguir ao Natal esperam-nos dias de intenso trabalho, mas também de satisfação por esta oportunidade que se abre depois deste ano que foi tão difícil", afirmou Marta Temido.

“Significa que em dezembro teremos uma chegada de 79.950 vacinas”, mas o número total de vacinas no primeiro trimestre não deve sofrer alterações, ressalvou Marta Temido, salientando que a antecipação é importante porque permite alocar já “9.750 vacinas também à região da Madeira e aos Açores”.

A antecipação permite também expandir a vacinação pelos profissionais identificados como prestadores diretos de cuidados a pessoas suspeitas de estarem infetadas ou doentes com covid-19.

“Para os primeiros hospitais que já identificaram os profissionais prioritários para vacinação temos a expectativa de conseguir vacinar cerca de 60% dos que foram identificados”, disse a ministra.

Marta Temido disse ainda que agora vai ser possível “alargar o universo de profissionais a vacinar e alargar os hospitais envolvidos”, esperado atingir todos os hospitais do Serviço Nacional de Saúde “com esta primeira entrega de vacinas”.

Na última segunda-feira, a Comissão Europeia autorizou a colocação no mercado da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer e BioNTech, horas após a Agência Europeia do Medicamento (EMA) ter dado o seu parecer científico favorável.

Nesse mesmo dia Marta Temido disse que os profissionais de saúde dos centros hospitalares universitários do Porto, São João, Coimbra, Lisboa Norte e Lisboa Central seriam os primeiros a ser vacinados contra a covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.718.209 mortos resultantes de mais de 77,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 6.343 pessoas dos 383.258 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Madeira estima vacinar 50 mil pessoas na primeira fase do processo

A Madeira estima vacinar 50 mil pessoas contra a covid-19 na primeira fase do processo, indicou hoje o Governo Regional, esclarecendo que prevê receber 9.750 doses em janeiro de 2021, para iniciar o programa de vacinação.

"As vacinas chegarão à Madeira na primeira semana de janeiro", disse o secretário regional da Saúde e Proteção Civil, Pedro Ramos, em conferência de imprensa, no Funchal.

"Aquilo que posso dizer, para tranquilizar a população, é que a Madeira está em condições de iniciar o seu plano de vacinação. Só estamos à espera das vacinas", acrescentou.

O governante esclareceu, por outro lado, que as 9.750 doses que chegam em janeiro vão permitir vacinar 4.785 pessoas, num universo de 200 mil elegíveis na Região Autónoma da Madeira.

Rafaela Laja