O atual diretor egional do Norte da ASAE é suspeito de corrupção, tráfico de influência, favorecimento pessoal, entre outros crimes. Mas o escândalo poderá chegar ao inspetor-geral, Pedro Portugal Gaspar.

Em causa poderá estar mesmo a cúpula da ASAE.

Pelos menos dez processos estão sob suspeita. Todos eles passaram pelas mãos do diretor regional, Vítor Serra, no tempo em que era inspetor e fazia fiscalizações. Mas poderão ser mais.

A investigação da TVI detetou mais três processos que ficaram parados.

Ao todo, mais de meio milhão de euros de contraordenações que não tiveram seguimento.

Vítor Serra nunca deu andamento aos processos, cujas infrações acabaram por prescrever.