As seguradoras já pagaram mais de 60 milhões de euros relativos a danos causados pela tempestade Leslie, a 13 e 14 de outubro do ano passado, anunciou esta quinta-feira a Associação Portuguesa de Seguradores (APS).

Em comunicado, a APS refere que, de acordo com um inquérito desenvolvido com as empresas de seguro associadas, “registaram-se mais de 38.000 sinistros cobertos por apólices de seguros, a que corresponde um valor agregado de danos de 101 milhões de euros, dos quais mais de 60 milhões já se encontram efetivamente pagos”.

A Associação Portuguesa de Seguradores lembra também que está a aguardar por mais informação para poder proceder às indemnizações.

Relativamente aos sinistros participados, a maioria diz respeito a seguros de habitações (mais de 31 mil sinistros), seguidos dos seguros de estabelecimentos comerciais e industriais (cerca de 3800 sinistros)”, pode ler-se no comunicado.

De acordo com a APS, o volume de indeminizações pelos danos nos estabelecimentos comerciais e industriais atinge os 46 milhões de euros, enquanto o das habitações chega aos 45 milhões de euros.

A APS informa ainda que as cerca de 2.500 participações por danos em veículos correspondem a 4,3 milhões de indemnizações.

No comunicado, APS conta “que em termos de danos sofridos por habitações, mais de 80% das indemnizações já se encontram, efetivamente, pagas”, recordando que “este foi um dos maiores sinistros da história dos seguros em Portugal”.

A tempestade Leslie provocou 28 feridos ligeiros, 61 desalojados e quase 1.900 ocorrências comunicadas à Proteção Civil, de acordo com o balanço desta autoridade.

Dos 61 desalojados, 57 são do distrito de Coimbra.