Morreu esta terça-feira Laura Ferreira, a mulher de Pedro Passos Coelho, que lutava contra um cancro há vários anos.

Ao que a TVI conseguiu apurar, Laura Ferreira, de 54 anos, morreu esta noite no Instituto Português de Oncologia (IPO), de Lisboa, onde estava internada.

Em 2015, Passos Coelho, na altura primeiro-ministro, emitiu um comunicado sobre a doença da mulher.

Como se tornou do conhecimento público recentemente, e para evitar mais especulações sobre este assunto, confirmo que foi diagnosticado à minha mulher, Laura Ferreira, um problema do foro oncológico que está a ser devidamente acompanhado", referiu.

O velório será na quarta-feira na Servilusa em Alcabideche. Às 17:00 começa para a família e a partir das 19:00 estará aberto ao público.

Na quinta-feira haverá uma cerimónia fúnebre às 11:30 seguida de cremação.

O Partido Social Democrata (PSD) escreveu, numa nota de pesar publicada na rede social Facebook, que Laura foi uma "figura muito acarinhada por toda a família social-democrata" e que vai deixar saudades.

Foi com grande consternação que o Partido Social Democrata recebeu a notícia do falecimento de Laura Ferreira, mulher de Pedro Passos Coelho, ex-primeiro-ministro e ex-presidente do PSD”, refere a nota.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, dirigiu esta terça-feira as “mais sentidas e amigas condolências” ao ex-primeiro-ministro, salientando que Laura Ferreira “deixou um traço de humanidade e serviço comunitário na sociedade portuguesa”.

Também o Primeiro-Ministro António Costa expressou a Pedro Passos Coelho as suas "sinceras condolências", considerando o combate de Laura Ferreira contra o cancro uma "enorme demonstração de perseverança e resiliência".

Através da sua página na rede social Twitter, Rui Rio deixou uma “palavra de pesar pelo falecimento de Laura Ferreira” a “toda a sua família e amigos”.

Ao Pedro Passos Coelho, o meu abraço solidário e a minha homenagem pela forma dedicada, solidária e amiga como sempre a acompanhou”, escreveu.

 

Também o eurodeputado do PSD Paulo Rangel usou o Twitter para deixar “uma palavra de pesar pelo falecimento de Laura Ferreira”.

Na ótica do social-democrata, Laura Ferreira “primou, na sociedade, pela empatia humana”, bem como “pela mais presente das discrições”.

O deputado ao Parlamento Europeu deixou igualmente “todo o conforto a Pedro Passos Coelho” e “um tributo ao seu amor - ao amor deles - que comove e inspira”.

A fisioterapeuta nasceu na Guiné-Bissau, mas na sua juventude viveu também em Cabo Verde.

Laura Maria Garcês Ferreira casou com Pedro Passos Coelho em 2004.

Também em 2015, foi publicada uma biografia autorizada do casal, em que Laura Ferreira contava um pouco do dia-a-dia da família do então primeiro-ministro.

Beatriz Jalón / com Lusa