Uma pessoa morreu esta terça-feira depois de o veículo em que seguia ter colidido com um autocarro na Estrada Nacional 18, em Évora.

Do acidente resultou ainda um ferido ligeiro, que era o condutor do veículo pesado, que seguia com 30 pessoas a bordo.

A estrada acabou por ser cortada para limpeza da via, e o trânsito estava a ser desviado.

A vítima mortal é um jovem, na casa dos 20 anos, que não resistiu à colisão entre um automóvel e um autocarro ocorrida hoje no concelho de Évora, que provocou ainda um ferido ligeiro, revelou a GNR.

A fonte do Comando Territorial de Évora da GNR, assim como fontes dos bombeiros e da Proteção Civil, indicaram à agência Lusa que a vítima mortal do acidente, na Estrada Nacional (EN) 18, era o condutor da viatura ligeira de passageiros envolvida na colisão com o autocarro.

O corpo do jovem foi transportado para os serviços de Medicina Legal de Évora, localizados no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE).

Quanto ao ferido ligeiro, que a GNR disse ser o condutor do autocarro, é um homem, de 35 anos, e foi transportado para o HESE, disse à Lusa fonte desta unidade hospitalar.

Contactado pela Lusa, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora explicou que, no autocarro da Rodoviária envolvido na colisão, que fazia “a ligação entre vários concelhos do distrito”, seguiam “30 passageiros”.

Os passageiros não ficaram feridos e só duas pessoas é que foram assistidas no local, mas nenhuma necessitou de assistência” médica, disse a fonte, explicando que os passageiros foram, entretanto, retirados do local do sinistro.

A colisão entre o veículo ligeiro de passageiros, que seguia no sentido Beja-Évora, e a viatura pesada de passageiros, que ia no sentido contrário, ocorreu na EN18, ao quilómetro 278, na freguesia de São Manços e São Vicente do Pigeiro, no concelho de Évora.

O alerta foi recebido pelos bombeiros às 13:58, tendo sido mobilizados para o local um total de 33 operacionais, apoiados por 15 viaturas, incluindo meios dos bombeiros, da GNR, do Instituto Nacional de Emergência Médica, Infraestruturas de Portugal e EDP, assinalou o CDOS.

O troço da EN18, que serve para ligar Évora a Reguengos de Monsaraz ou ao Itinerário Principal (IP) 2 para Beja, esteve cortado para permitir as operações de socorro às vítimas e, depois, a limpeza da via e remoção dos veículos, mas o trânsito já está a ser feito de forma alternada, revelou a GNR.

Amílcar Matos .