Um homem detido em flagrante a atear um incêndio florestal na terça-feira no concelho de Tomar ficou em prisão preventiva e é suspeito de ter ateado outros fogos naquela zona, divulgou esta quarta-feira a Polícia Judiciária (PJ).

Em comunicado, aquela força policial explicou que “recolheu elementos indiciários que esclareceram as circunstancias” do incêndio florestal, que ocorreu na terça-feira na união de freguesias de Serra e Junceira, no concelho de Tomar, distrito de Santarém.

E acrescentou que este fogo foi “ateado com recurso a chama direta”.

O suspeito do incêndio florestal que ocorreu na terça-feira foi detido em flagrante delito por elementos Unidade de Emergência Proteção e Socorro (UEPS) da GNR de Coimbra, revelou ainda a PJ.

Segundo a PJ de Leiria, há “fortes suspeitas de que outras ignições naquela zona possam estar relacionadas com o mesmo autor”.

O detido, de 50 anos, viu ser-lhe aplicada a medida de coação mais gravosa, após ser presente às autoridades judiciárias, e vai aguardar julgamento em prisão preventiva.

/ AG