A urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, vai encerrar novamente durante o fim de semana, a partir das 20:30 desta sexta-feira e até às 08:30 de segunda-feira, anunciou aquela unidade de saúde.

"Apesar dos esforços realizados, a solução de assegurar as escalas de urgência de pediatria ao fim de semana no HGO, com o apoio da União das Misericórdias Portuguesas, não se concretizou até à data", afirma o hospital em comunicado, assegurando que o serviço de neonatologia e a urgência interna de pediatria "funcionarão regularmente".

Para minimizar os constrangimentos, o hospital do distrito de Setúbal articulou-se com o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Almada e Seixal, tendo em vista o reforço do atendimento em alguns cuidados de saúde primários dos dois concelhos.

"Haverá o reforço do atendimento complementar nos Centros de Saúde Rainha D. Leonor (Almada) e Amora (Seixal), com médicos especialistas em Medicina Geral e Familiar do próprio ACES, que estarão abertos entre as 10:00 e as 17:00 de sábado e domingo, para atender todos os utentes que, no âmbito pediátrico, necessitem de observação, em situações agudas, mas não emergentes", lê-se na nota.

No passado fim de semana, os centros de saúde do ACES de Almada e Seixal receberam 71 crianças em atendimento complementar, informou hoje a administração.

"Prevê-se que a conclusão da formação de novos recém-especialistas, cerca de 20 no total nacional, em outubro/novembro de 2019, possa permitir fixar novos pediatras no HGO", acrescentou.

Os utentes que necessitem de recorrer a uma urgência pediátrica devem dirigir-se ao Hospital de Santa Maria ou ao Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, sugere o conselho de administração.

Esta é a quarta vez que a urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta encerra nas últimas semanas.

Na semana passada, também esteve encerrada entre as 20:30 de sexta-feira (dia 18) e as 08:30 de segunda-feira (dia 21).

Antes, a urgência esteve encerrada no dia 12 à noite e no dia 14.

A falta de médicos pediatras para cumprir as escalas noturnas no Garcia de Orta já dura há mais de um ano, quando saíram 13 médicos e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque “ninguém concorreu”.

Atualmente, trabalham 28 médicos no serviço de pediatria, dos quais sete fazem urgência e apenas quatro podem fazer noites porque têm menos do que 55 anos.

Em entrevista à Lusa em 16 de outubro, o presidente do conselho de administração do hospital, Luís Amaro, informava que estava a ser feito um protocolo com a União das Misericórdias Portuguesas para, a curto prazo, solucionar a falta de pediatras no serviço de urgência, além de já terem sido feitas parcerias com outros hospitais.

O responsável também indicou, na ocasião, que o Ministério da Saúde disponibilizou três vagas por contratação direta e que em breve seria lançado um novo concurso, para o qual Luís Amaro pediu “o maior número possível de vagas”.

No sábado, as comissões de utentes da saúde de Almada e do Seixal concentram-se à porta do hospital, às 10:00, em protesto contra os encerramentos sucessivos da urgência pediátrica.

/ AM