A Proteção Civil localizou uma das viaturas submersas no poço mais fundo da pedreira de Borba, onde há uma semana ocorreu a derrocada da estrada N255. O veículo está na parte mais à esquerda da pedreira, mas não há ainda previsão para que possa ser retirado, uma vez que o perigo de novas derrocadas é constante.

Na manhã desta segunda-feira, depois de uma análise de técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, as operações com mergulhadores foram suspensas devido ao risco de novos deslizamentos de terras.

O deslizamento de um grande volume de terra na estrada 255 entre Borba e Vila Viçosa, no distrito de Évora, provocou, há precisamente uma semana, a deslocação de uma quantidade significativa de rochas, de blocos de mármore e de terra para o interior de duas pedreiras contíguas.

O acidente, segundo a Proteção Civil, provocou a morte de dois operários da empresa de extração de mármores da pedreira que se encontrava ativa, o maquinista e o auxiliar de uma retroescavadora, cujos corpos já foram recuperados.

Além disso, na pedreira mais próxima da estrada, que se encontra “em suspensão de lavra” (sem atividade) e que possui o plano de água mais profundo, as autoridades procuram, pelo menos, três desaparecidos, que seguiam em duas viaturas automóveis no momento da derrocada.

É na pedreira mais profunda e com um plano de água maior que estão agora concentradas as operações da Proteção Civil, que incluem ações de busca e de drenagem de água para uma ribeira limítrofe, com quatro motobombas em atividade, e onde a “acessibilidade de veículos e de equipamentos" é "muito limitada".