Os voos de e para Brasil e Reino Unido vão continuar suspensos até 16 de março, anunciou, neste sábado, o Ministério da Administração Interna (MAI).

A suspensão terminava a 1 de março e foi agora prolongada por mais 15 dias.

No contexto da situação epidemiológica provocada pelo vírus SARS-CoV-2, o Governo decidiu prolongar, até ao dia 16 de março, as medidas restritivas do tráfego aéreo. Assim, mantêm-se suspensos todos os voos, comerciais ou privados, dos aeroportos ou aeródromos de Portugal continental, com origem ou destino no Brasil e no Reino Unido", indica o MAI.

Apenas são permitidos os voos de natureza humanitária, para repatriamento de cidadãos nacionais, da União Europeia e de países associados ao Espaço Schengen, e seus familiares, bem como de cidadãos nacionais de países terceiros com residência legal em território nacional.Os cidadãos que estejam autorizados a viajar "têm de apresentar comprovativo de realização de teste PCR com resultado negativo", realizado nas 72 horas anteriores ao embarque, com exceção das crianças que não tenham completado 24 meses. Têm, também, de cumprir um período de isolamento profilático de 14 dias, no domicílio ou em local indicado pelas autoridades de saúde, ou aguardar pelo voo de ligação aos respetivos países em local próprio no interior do aeroporto.

São também permitidos voos de repatriamento de cidadãos estrangeiros que se encontrem em Portugal continental.

As medidas restritivas do tráfego aéreo não se aplicam aos países que integram a União Europeia e aos países associados ao Espaço Schengen. 

Estão, igualmente, autorizadas as "viagens essenciais" para países que não integram a UE ou que não sejam associados ao Espaço Schengen e de "apoio ao regresso dos cidadãos nacionais ou com residência legal em território nacional".

Mais de 700 passageiros chegaram a Portugal sem teste à covid-19

Mais de 700 passageiros chegaram a Portugal sem teste realizado à covid-19, de acordo com o último balanço do controlo das fronteiras aéreas pelo SEF e pela PSP, entre 31 de janeiro e 25 de fevereiro.

Nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro foram controlados 45.860 passageiros de 968 voos de países da UE ou do Espaço Schengen, "dos quais 650 não apresentavam comprovativo de realização de teste".

Dos restantes países foram controlados 12.485 passageiros (176 voos) e "94 não apresentavam comprovativo".

Os passageiros que cheguem sem teste são obrigados a realizá-lo "no interior do aeroporto""têm de aguardar o resultado no próprio aeroporto".

Quanto aos passageiros "sem motivos" para viajar, a Polícia de Segurança Pública verificou os motivos da viagem de 77.466 passageiros, nos três aeroportos, "tendo sido impedidas de viajar 140 pessoas".

Catarina Machado