Morreu, no último domingo, o arquiteto António José de Santa-Rita, nome do urbanismo português, associado aos projetos de travessia do Tejo, à investigação e ao ensino. O falecimento, aos 88 anos, ocorreu em Lisboa, disse esta terça-feira, à agência Lusa, fonte próxima da família.

Arquiteto e urbanista, com formação em sustentabilidade, António Santa-Rita (1938-2018) formou-se pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, era professor de arquitetura na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, desde 1999, e exerceu a profissão liberal no atelier Contacto Atlântico, de acordo com a Ordem dos Arquitectos.

Foi autor de planos de urbanização e de pormenor para a Câmara da Marinha Grande, para São Pedro de Moel, Vieira de Leiria e Praia da Vieira, assim como de planos de pormenor para Leiria e Albufeira (1972 -1986).

Liderou o setor de arquitetura do Gabinete da Ponte sobre o Tejo (1966-1970), foi consultor do Gabinete da Nova Travessia do Tejo em Lisboa (GATTEL), entre 1992 e 1994, para a construção da Ponte Vasco da Gama, e esteve à frente de serviços da Junta Autónoma das Estradas, atual Infra-estruturas de Portugal (1991-1998), nas áreas da arquitetura, tráfego, manutenção, portagens e exploração.

Foi autor das monografias "As Estradas em Portugal – Da Monarquia ao Estado Novo – 1900-1947", "Recuperação da Casa Sanches", "O Ensino da Arquitetura e a Sustentabilidade", "A Arquitetura da Era Colonial em S. Tomé e Príncipe", assim como "A Estrada Marginal Lisboa-Oeiras-Cascais – Maravilha de Sentido Atlântico" e "50 Anos de Ponte Sobre o Tejo em Lisboa (ambas com Célia Garrett Florêncio).

O corpo de António Santa-Rita está na Igreja de Santo António do Estoril onde, às 15:30, se realizará uma missa de corpo presente, após o que, pelas 16:00, se realizará o funeral para o crematório de Cascais, em Alcabideche.