O Hospital de Santa Maria tem, na manhã desta quinta-feira, pelo menos 13 ambulâncias à porta, com a triagem dos doentes a ser feita nas ambulâncias, por um enfermeiro e um médico.

Na noite desta quarta-feira, as imagens mostraram dezenas de ambulâncias com doentes, bombeiros e elementos do INEM, que tiveram de aguardar várias horas junto ao serviço de urgência covid.

Chegaram a ser 30 ambulâncias a a espera ultrapassou as 12 horas.

À tarde o hospital distribuiu água e bolachas, mas, já à noite, sem qualquer apoio por parte da proteção civil, os bombeiros decidiram protestar de forma silenciosa, ligando as luzes de emergência das ambulâncias.

A administração do hospital pediu depois aos seguranças que fossem às ambulâncias, uma a uma, pedir para desligarem as luzes, porque podiam incomodar os doentes no interior da unidade hospitalar.

Durante a noite de ontem, a reportagem da TVI assistiu à doação de comida para os profissionais de saúde, bombeiros e elementos do INEM que se encontravam neste hospital. Além de duas cadeias de fast-food terem enviado pizas e hambúrgueres, um padeiro abriu a padaria de propósito e fez pão quente, que foi lá deixar. 

Também chegaram ao hospital sopas acabadas de fazer na hora por pessoas que estavam em casa e que ficaram “indignadas” com as imagens.

Segundo o Hospital de Santa Maria, ontem estiveram internados ou a ser atendidos um total de 375 doentes covid: 233 nas enfermarias, 54 nos Cuidados Intensivos e 88 nas urgências. Hoje, à TVI, fonte hospitalar já admite que o número será "largamente ultrapassado".

Uma das razões desta enorme afluência, além, naturalmente, do aumento das infeções e dos internamentos, está ligada ao facto do Hospital Amadora Sintra não estar a receber doentes covid, até à situação do fluxo de oxigénio ficar resolvida.

A administração do Santa Maria refere que apenas 15% dos doentes que estão a ir às urgências necessita efetivamente de cuidados urgentes e apela à população que só recorra às urgências em situações justificadas. Para as menos graves, deve deslocar-se aos centros de saúde.