Os trabalhadores de segurança dos aeroportos nacionais vão estar em greve total entre 13 e 17 de maio, altura em que o Papa Francisco estará de visita a Portugal, segundo o pré-aviso entregue pelo Sitava.

Em declarações à Lusa, Armando Costa, representante do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava), disse que, após "um plenário muito participado", ficou decidido que os trabalhadores das empresas Prosegur e Securitas de todos os aeroportos do país, incluindo os dos Açores e da Madeira, vão fazer uma greve que inclui os dias da visita do Papa Francisco.

"É uma greve de cinco dias, 24 horas por dia, de 13 a 17 de maio, para os trabalhadores de todos os aeroportos nacionais, incluindo Açores e Madeira", afirmou o sindicalista responsável pelos assistentes de portos e aeroportos (APA).