O aquecimento global pode levar à perda de 80 milhões de postos de trabalho até 2030 devido ao aumento do stress térmico. A previsão consta de um novo relatório da Organização Internacional do Trabalho.

O documento intitulado "Trabalhar Num Planeta Mais Quente: o impacto do stress térmico na produtividade laboral e o trabalho digno" foi feito com base em dados climáticos, fisiológicos e de emprego e apresenta estimativas relativas à perda de produtividade.

A previsão é que daqui a 11 anos 2,2% do total de horas de trabalho no mundo inteiro possam ser dadas como perdidas devido às altas temperaturas.

O setor agrícola deverá ser o mais atingido. Em 2030, 60% das horas de trabalho terão sido perdidas na sequência do stress térmico.

Segue-se a construção, onde se prevê a perda de 19% das horas de trabalho à escala mundial.