Este sábado foram administradas mais 76 mil doses da vacina contra a covid-19. Segundo a informação que a TVI24 recolheu junto da task force que coordena o processo, mais de 60 mil os jovens entre os 12 e os 17 anos que receberam uma dose da vacina.

Um total de 86 mil jovens entre os 12 e os 17 anos têm vacinação marcada para este fim de semana e vão juntar-se aos 150 mil que foram vacinados na semana passada.

O coordenador da task-force espera que, entre agendamentos e Casa Aberta, se chegue aos 180 mil jovens deste grupo etário que ainda estão por vacinar.

No congresso do PS, este sábado, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou que espera que, até domingo, fiquem vacinados 70% dos jovens entre os 12 e os 17 anos.

A partir de hoje, dia 27 de agosto, os utentes poderão ser vacinados contra a covid-19 em qualquer centro de vacinação de Portugal Continental à sua escolha, bastando para isso recorrer ao sistema de senha digital da modalidade “Casa Aberta””, refere um comunicado da ‘task-force’ responsável pelo processo de vacinação.

Além desta novidade, passou também a ser possível escolher o centro de vacinação para a toma da segunda dose da vacina, mas essa opção tem de ser feita logo no dia em que se recebe a primeira dose da vacina.

Até agora, a vacinação sem marcação só era possível no centro de vacinação do concelho de residência dos utentes e a toma da segunda dose teria de ser no mesmo centro em que tivesse sido administrada a primeira.

Segundo o mesmo comunicado, aquelas alterações surgem na sequência daquilo que consideram ter sido o “decorrer muito positivo do processo de vacinação” e a maior disponibilidade dos centros de vacinação.

“Uma vez que grande parte da população portuguesa elegível já se encontra vacinada, há uma maior disponibilidade nos vários centros de vacinação abertos ao momento”, justifica.

Os dados nacionais mais recentes indicam que Portugal tem já 72% da população com a vacinação completa e 80% com pelo menos uma dose de vacina contra a covid-19.

Nesta fase, a ‘task-force’ reforça o apelo para que todos os utentes elegíveis sejam vacinados “para sua proteção e da restante população, aproveitando as estruturas ainda implementadas”.

António Guimarães