O hospital de Beja instalou um contentor frigorífico para aumentar de imediato a capacidade da morgue, embora não esteja ainda a ser usado, devido ao aumento de óbitos resultantes da covid-19, disse fonte daquela unidade, esta sexta-feira.

A morgue do Hospital José Joaquim Fernandes tem, atualmente, 12 gavetas, mas o contentor foi já instalado de forma preventiva, apesar de “ainda não estar a ser utilizado”, precisou à agência Lusa a fonte da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

A unidade hospitalar encontra-se com ocupação plena na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), pelo menos, desde 04 de janeiro, altura em que a valência ainda só dispunha de quatro camas.

A capacidade da UCI foi, entretanto, ampliada para o dobro (oito camas), mas a ocupação plena da unidade nunca deixou de ser uma realidade.

Ainda assim, nos últimos dias, não tem havido necessidade de transferir doentes do hospital de Beja para outros hospitais, depois de, na semana passada, terem sido levados cinco doentes para o hospital de campanha criado em Portimão.

Segundo a fonte, o número de internamentos na Enfermaria ‘Covid’ neste hospital alentejano baixou, esta sexta-feira, para 63, menos cinco do que na quinta-feira, o que se traduz ainda numa taxa de ocupação de 88,7% das 71 camas totais.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.191.865 mortos resultantes de mais de 101 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.886 pessoas dos 698.583 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ NM