Um barco da Soflusa, com 64 passageiros a bordo, que estava encalhado no Tejo desde as 13:30, conseguiu libertar-se por meios próprios, apurou a TVI junto de fonte da Polícia Marítima.

A embarcação retomou o destino, Barreiro, onde já atracou, aliás, depois de cerca de duas horas de paragem.

Alguns passageiros fizeram o transbordo numa lancha da Polícia Marítima, os restantes decidiram permanecer no barco.

O comandante da Capitania do Porto de Lisboa, Coelho Gil, tinha dito anteriormente à TVI que "os passageiros não correm perigo".

No local esteve uma lancha da Polícia Marítima e outra do ISN, Instituto de Socorros a Náufragos, bem como uma segunda embarcação da Soflusa para tentar fazer o transbordo.

O barco de passageiros da Soflusa encalhou no canal do Barreiro, junto à entrada do Barreiro, onde, aliás, estava a chegar.

A TVI sabe, também, que o barco saiu fora do canal de navegação, em condições ainda por apurar. 

Segundo o comandante da Polícia Marítima, a "maré estava muito baixa" na altura do sucedido.

As autoridades avaliavam a possibilidade de fazer o transbordo dos passageiros ou esperar que a maré subisse, o que estava a acontecer desde, pelo menos, as 14:25.

O comandante Coelho Gil explicou, ainda, que, na sequência do acidente, será aberto um inquérito para apurar as causas do mesmo.

Catarina Machado