O Tribunal de Aveiro condenou a oito anos e meio e cinco anos e três meses de prisão um casal suspeito da prática de vários roubos violentos ocorridos em agosto de 2020.

A pena mais gravosa resulta do cúmulo jurídico aplicado ao elemento masculino do casal, de 29 anos, que foi condenado por cinco crimes de roubo, um dos quais na forma tentada.

Um dos crimes de roubo foi realizado em coautoria com a companheira, que apanhou cinco anos e três meses de prisão.

A mulher, de 23 anos, estava acusada de envolvimento em outros dois crimes de roubo, mas a juíza presidente disse que não se provou que ela estivesse com o companheiro nestas atuações.

Os dois arguidos foram ainda absolvidos de um crime de sequestro, porque o coletivo de juízes entendeu que este crime foi "consumido" pelo crime de roubo.

O tribunal fixou o pagamento de indemnizações às vítimas, por parte do casal, por se tratar de criminalidade violenta e muito violenta, no valor global de seis mil euros.

Foi ainda julgado parcialmente procedente o pedido de indemnização de um dos demandantes, tendo o principal arguido de pagar-lhe 1.547,50 euros.

Um terceiro arguido, ausente na leitura do acórdão, foi condenado a um cúmulo jurídico de um ano e sete meses de prisão, suspensa por três anos, por um crime de recetação de uma viatura furtada e outro de condução perigosa de veículo rodoviário.

Este arguido, de 30 anos, terá ainda de pagar mil euros ao proprietário da viatura e ficou proibido de conduzir veículos com motor pelo período de um ano e meio.

O caso mais grave ocorreu em 10 de agosto de 2020, pelas 11:00, quando o casal assaltou a casa de um homem de 91 anos que vivia sozinho na Gafanha da Nazaré, em Ílhavo, obrigando-o sob ameaça de uma faca a entregar 100 euros que tinha na carteira.

Os arguidos trancaram depois o ofendido num dos quartos da habitação e fugiram na sua viatura, tendo sido necessário arrombar a porta para libertar o idoso.

O casal estava ainda acusado de ter roubado duas pessoas na via pública, tendo num dos casos levado 30 euros e um telemóvel e no outro caso forçado um jovem a levantar 200 euros num multibanco, sob ameaça de uma faca.

A acusação refere ainda mais duas situações em que o elemento masculino do casal terá atuado com um suspeito que não foi identificado, relacionadas com o roubo de viaturas por ‘carjacking’.

/ HCL