O conselho diretivo de baldios de Vilarinho, concelho de Mondim de Basto, está a reflorestar área ardida este verão no monte da Senhora da Graça, uma iniciativa impulsionada por uma doação de 2.790 árvores autóctones.

Um incêndio no Monte Farinha, mais conhecido como Senhora da Graça e que é uma das âncoras para o turismo daquele concelho do distrito de Vila Real e uma das principais etapas da Volta a Portugal em bicicleta, deixou a montanha pintada de negro.

O fogo deflagrou no dia 31 de julho e foi dado como extinto no dia 2 de agosto, deixando uma área ardida de 214 hectares neste território do distrito de Vila Real.

O presidente do conselho diretivo de baldios de Vilarinho, Salvador Carvalho Barroso, disse hoje à agência Lusa que está neste momento a proceder-se à reflorestação de uma parte do monte da Senhora da Graça, uma ação impulsionada por uma doação de 2.790 pés de árvores autóctones a esta entidade.

Esta doação foi feita por uma residente no Luxemburgo, Alsu Davlet Shina, que quis contribuir para a recuperação da área ardida após ter tido conhecimento da destruição daquela mancha florestal.

O responsável disse que os trabalhos estão já a decorrer, sendo necessário primeiro proceder à limpeza da área ardida e depois à plantação das árvores.

A ação de reflorestação vai também abranger área não ardida que integra o baldio de Vilarinho.

As espécies, que vão desde os pinheiros, castanheiro, freixo, carvalho-americano, vão ser plantadas nas áreas mais consideradas adequadas aos diferentes terrenos.

Em 1990 e 2005 também se registaram incêndios na zona da Senhora da Graça, repetindo-se neste verão, novamente 15 anos depois.

/ AM