Portugal é um dos raros países que não está a vacinar quem já esteve infetado com o novo coronavírus, aponta um relatório do Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC).

De acordo com o documento, onde foram analisados 24 países, apenas Portugal e a Islândia estão nesta situação, ou seja, quem já passou pela doença não recebe nenhuma dose da vacina.

Contactada pela TVI, a Direção-Geral da Saúde afirma que estas pessoas vão ser vacinadas, alegando a escassez de vacinas para a exclusão da primeira fase.

No nosso país, a questão está "em discussão" e é vista com preocupação pela Ordem dos Médicos, que apela a uma rápida revisão da norma da DGS, sobretudo para incluir os médicos e outros profissionais de saúde, que por força da sua atividade correm maiores riscos.

A pandemia tem-nos levado a tomar algumas decisões ainda em cenário de incerteza, mas desta vez temos já evidência científica suficiente para percebermos que o risco de reinfeção é real e que mesmo em quem teve formas graves da doença é possível acontecer uma nova infeção em prazos que não conseguimos determinar”, referiu o bastonário da Ordem dos Médicos em comunicado.

 

Desta forma, é urgente que se reveja a norma para podermos incluir todas as pessoas que já tiveram Covid-19 nas fases de vacinação que lhes estariam por natureza destinadas. No caso dos médicos e outros profissionais de saúde a situação torna-se ainda mais urgente pois, por inerência do seu trabalho, estão expostos ao risco e lidam com doentes frágeis que ficam também desprotegidos”, acrescentou Miguel Guimarães.

Recorde-se que o bastonário da Ordem dos Médicos e o Gabinete de Crise para a Covid-19 da Ordem dos Médicos já tinham reforçado a importância de serem incluídos nos primeiros grupos prioritários de vacinação os médicos e outros profissionais de saúde e as pessoas com 80 ou mais anos de idade que já tiveram Covid-19 há mais de 90 dias.

O relatório faz ainda a comparação com outros países e mostra que em 15 deles estão a ser administradas as duas doses da vacina a quem já esteve infetado: Bélgica, Croácia, Chipre, República Checa, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Irlanda, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polónia, Roménia e Suécia.

Já nos restantes sete países, os que já estiveram infetados estão a receber apenas uma dose: Áustria, Estónia, França, Itália, Espanha, Eslováquia e Noruega.

Veja aqui os países e as recomendações das vacinas:

Covid-19: recomendação para aqueles que já estiveram infetados Países
Duas doses administradas Bélgica, Croácia, Chipre, República Checa, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Irlanda, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polónia, Roménia e Suécia
Uma dose administrada Áustria, Estónia, França, Itália, Espanha, Eslováquia e Noruega
Vacina não administrada Islândia (vacina não recomendada); Portugal (em discussão)

Fonte: Relatório ECDC

Esta segunda-feira, e em entrevista na TVI24, o coordenador da task force de vacinação, Henrique Gouveia e Melo, admitiu que esta hipótese não está ainda em equação, devido à escassez de vacinas na sociedade portuguesa, o que vai de encontro à informação da DGS.

Lara Ferin