O golfinho encontrado morto na quinta-feira na margem sul do rio Tejo, em Alcochete, distrito de Setúbal, não corresponde ao que estava desaparecido da Doca dos Olivais, junto ao Oceanário de Lisboa, disse hoje fonte do ICNF.

Marina Sequeira, do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse à Lusa que o golfinho encontrado morto “não era da mesma espécie” do golfinho-riscado desaparecido da Doca dos Olivais desde segunda-feira.

A responsável do ICNF teve conhecimento, na quarta-feira, “de um golfinho morto que terá arrojado na margem sul do rio Tejo, em Alcochete”, que indicou, na altura, poder ser o mesmo, mas “sem certezas” até resultado da autópsia.

De acordo com a autópsia, o animal “não comia há vários dias e tinha uma patologia de pulmão”, referiu.

A causa da morte do golfinho ainda não é conhecida porque “o resultado dos exames ainda não foi revelado”.

No passado domingo, um golfinho-riscado foi levado para a Doca dos Olivais depois de ter arrojado na margem do rio Tejo e ter sido avistado por populares que deram o alerta durante a tarde, indicou na terça-feira fonte do Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB) de Lisboa.

Relativamente a este golfinho, a responsável do ICNF disse apenas que o seu paradeiro ainda é desconhecido.