Portugal regista esta sexta-feira zero mortes por covid-19, num dia em que foram contabilizados 460 novos casos, segundo boletim da Direção-Geral da Saúde. Trata-se da segunda vez esta semana que o país não regista qualquer óbito, algo que só tinha acontecido em agosto.

O índice de transmissibilidade (Rt) e a incidência voltaram a descer em todo o território. Portugal tem agora um R(t) de 0,98, tanto a nível nacional como continental, enquanto a incidência é de 66,9 em todo o território e de 64,3 no continente. Recorde-se que estes dois parâmetros foram traçados pelo Governo como as linhas que guiam o desconfinamento, que entra este sábado na última fase.

O executivo definiu que o R(t) nunca deve ultrapassar o 1, devendo a incidência manter-se abaixo dos 120 casos por 100 mil habitantes.

Os dados anteriores davam conta de uma transmissibilidade no 1 em todo o país, sendo de 69,3 e 66,5 a nível nacional e continental, respetivamente.

Os números relativos aos internamentos mantiveram-se inalterados nas últimas 24 horas, com 324 pessoas hospitalizadas, das quais 89 estão nos cuidados intensivos.

Com mais 512 pessoas recuperadas, o número de casos ativos desceu em 52, havendo agora 23.681 pessoas infetadas no país.

A região Norte continua a ser a que reporta mais casos, com 212 novas infeções confirmadas. Seguem-se Lisboa e Vale do Tejo, com 133 casos, Centro, com 41 casos, Algarve, com 37 casos e Alentejo, com 10 casos.

Nota ainda para as regiões autónomas dos Açores e da Madeira, que registaram mais 12 e 15 casos, respetivamente.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 379.550 homens e 456.630 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 313 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.914 eram homens e 8.060 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 11.170 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.614 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.519 tinham entre os 60 e os 69 anos.

António Guimarães