Depois de mais de três meses, o tribunal grego deu ordem para libertar, sob uma caução de mil euros, o camionista português detido por suspeitas de transportar imigrantes ilegais.

Luís Marques foi detido a 10 de janeiro, na fila para o "ferry" no porto de Patras, na Grécia, quando as autoridades encontraram quatro imigrantes ilegais no camião que esperava para atravessar para Itália.

Segundo noticia o JN, a empresa já se disponibilizou para pagar a caução que permitirá libertar Luís Marques.

Natural de Celorico de Basto, o motorista saiu de Portugal, a 3 de janeiro, para descarregar uma carga de garrafas de gás na Grécia, a pedido da empresa de Cabeceiras de Basto que é proprietária do camião. Acabaria por chegar àquele país no dia 6 do mesmo mês, depois de uma viagem de "ferryboat" a partir de Itália. Entregou a encomenda ao cliente e voltou a fazer uma nova carga do camião, desta vez de peúgas, em Atenas.

A família de Luís Marques afirmou à TVI que o homem é inocente, que não sabia qual a carga que estava a transportar.

É um desespero constante. Os meus filhos todos os dias choram pelo pai", afirmou a mulher do camionista, em março.

Também o Governo garantiu estar em contacto com a embaixada na Grécia.

Redação