Subiu para 1.549 o número de mortos por Covid-19 em Portugal, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado nesta quinta-feira.

São mais seis óbitos nas últimas 24 horas, o que representa um aumento de 0,4%. Quatro ocorreram na região de Lisboa, um no Norte e outro no Alentejo.

Já o número de infetados subiu para 40.415, com 311 novos casos (subida de 0,8%).

A maioria destes casos - 77% - foram registados na região de Lisboa, que contabiliza, agora, 17.767 infetados, mais 240 que na véspera.

Há, também, mais sete doentes internados, para um total de 436 (+1,6%), mas menos seis nos cuidados intensivos (67).

Continuam a aumentar os contactos em vigilância pelas autoridades de saúde - 31.113, enquanto 1.524 pessoas aguardam resultados de testes.

O número de doentes recuperados é, agora, de 26.382, com mais 299 recuperações relativamente ao dia anterior.

Boletim da DGS - 25 de junho by TVI24 on Scribd

A região de Lisboa continua a ser a mais afetada do país em número de casos, situação que levou já ao prolongamento do estado de calamidade na Área Metropolitana (AML), de modo a conter o surto, que se propaga, essencialmente, em 19 freguesias de cinco concelhos: Amadora, Odivelas, Sintra, Loures e Lisboa.

Lisboa regista, assim, 17.767 casos e 453 mortos, seguindo-se o Norte (17.372/815), Centro (4.055/248), Algarve (574/15), Açores (146/15), Alentejo (409/3) e Madeira (92/0).

A maioria dos 311 novos casos ocorridos nas últimas 24 horas foram registados em Lisboa (240). Os restantes ocorreram no Norte (33), Algarve (22), Centro (13) e Alentejo (3).

E só os cinco concelhos da AML com medidas excepcionais de confinamento registam 68% dos novos casos. Foram mais 55 em Sintra (2.425), mais 39 em Lisboa (3.277), mais 35 na Amadora (1.546), mais 22 em Odivelas (1.039) e mais 13 em Loures (1.720).

Nos cinco concelhos da região Norte com mais casos registou-se apenas mais um em Vila Nova de Gaia (1.629). Porto (1.414), Matosinhos (1.292), Braga (1.256) e Gondomar (1.093) não sofreram qualquer aumento no número de contágios.

Segundo, ainda, dados da DGS, as mulheres são o género mais afetado pela doença, com 779 óbitos e 22.707 casos positivos. Quanto aos homens há a registar 770 mortos e 17.708 infetados.

Por faixa etária, o maior número de mortes regista-se entre as pessoas com 80 ou mais anos (1.037), seguida dos 70-79 anos (299) e dos 60-69 anos (142).

Já a faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40-49 anos (6.769 casos), seguida dos 50-59 anos (6.423) e dos 30-39 anos (6.390).

Nas faixas etárias mais jovens, entre os 20 e os 29 anos, registam-se 5.845 casos e, entre os 10 e os 19 anos, 1.598. Há, ainda, 1.116 casos em crianças até aos nove anos.

Catarina Machado