O Ministério Público (MP) indiciou, esta quarta-feira, Joe Berardo e o seu advogado, André Luíz Gomes, por mais quatro novos crimes: falsidade informática, falsificação de documentos, abuso de confiança qualificada e descaminho ou destruição de objetos colocados sob o poder público.

Crimes esses que acrescem àqueles de que já eram suspeitos: burla qualificada, fraude fiscal e branqueamento de capitais. De fora fica o crime de administração danosa, que deverá ser indiciado a um dos restantes arguidos.

A TVI avançou com esta informação que foi, entretanto, confirmada oficialmente em comunicado pelo Conselho Superior da Magistratura (CMP).

Tanto Joe Berardo como o seu advogado foram presentes, esta quarta-feira, ao juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), tendo o interrogatório sido novamente adiado, desta vez, para quinta-feira.

Os dois vão ser interrogados pelo juiz Carlos Alexandre mas, até ao momento, não se sabe se o empresário e o advogado de negócios vão responder às perguntas. 

LEIA TAMBÉM:

Defesa diz que Joe Berardo está "sereno"

A defesa de Joe Berardo disse à saída do TCIC que o empresário está “sereno” sem confirmar se este prestará declarações na quinta-feira, na retoma dos trabalhos do processo em que é arguido.

Paulo Saragoça da Matta e João Costa Andrade, saíram por volta das 22:40 do TCIC onde estiveram em consulta dos autos.

À saída do edifício, nas antigas instalações da Polícia Judiciária (PJ) em Lisboa, Paulo Saragoça da Matta disse aos jornalistas que “há sempre a possibilidade de prestar declarações” e que a defesa está "a ponderar", sem confirmar se Joe Berardo irá exercer esse direito.

Paulo Saragoça da Matta acrescentou que “o comendador está sereno” embora tenha salientado que “ninguém ficaria satisfeito por estar detido”.

empresário madeirense foi detido na terça-feira por suspeitas à Caixa Geral de Depósitos, pela forma como conseguiu obter, em 2006, empréstimos que, em 2015, ainda revelavam uma exposição do banco público à Fundação Berardo na ordem dos 268 milhões de euros em créditos mal parados.

Além de Joe Berardo, também André Luiz Gomes foi detido no âmbito deste caso que conta com 11 arguidos, dos quais seis são empresas e cinco individuais. 

O jornal Observador avançou que Renato Berardo, filho do empresário, é outro dos arguidos, uma notícia que foi entretanto confirmada pela TVI.

Luís Varela de Almeida / com Lusa - notícia atualizada às 23:23