A Polícia Judiciária (PJ) disse esta terça-feira que “está tudo em aberto” sobre o tiroteio na Avenida da Liberdade, em Lisboa, que ocorreu pelas 23:00 de segunda-feira, referindo que está investigar, sem avançar qualquer informação adicional.

Posso confirmar que a ocorrência nos foi comunicada e, neste momento, estamos a fazer investigação, mas por isso mesmo, não vamos, não podemos, para já, fazer qualquer comentário ou divulgação”, disse à Lusa fonte da PJ, escusando-se a prestar informação sobre a identificação e detenção de suspeitos, bem como sobre as provas recolhidas no local.

Ao que a TVI24 conseguiu apurar, o tiroteio na Avenida da Liberdade ocorreu por volta das 23:00 de segunda-feira.

Envolveu dois veículos ligeiros, fizeram disparos e ficaram invólucros no local”, sem indicação de quantas balas foram recolhidas.

Após a troca de tiros, que coincidiu com a primeira noite de recolher obrigatório no âmbito do estado de emergência devido à pandemia de covid-19, “os carros puseram-se em fuga”. Ateá ao momento, não se sabe o número de ocupantes dos veículos.

O alerta para a ocorrência “foi dado por testemunhas no local, mas também esta noite não foi das mais movimentadas na cidade, portanto pouquíssima gente ou quase nenhuma assistiu”, adiantou o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, acrescentando que ainda não há registo de qualquer detenção, nem estão identificados possíveis suspeitos, nem informação das matrículas dos carros envolvidos.

Não há danos, nem materiais nem pessoais, pelo menos, que tenhamos conhecimento, ninguém deu entrada em hospitais, nem ninguém pediu auxílio”, avançou a PSP.

No âmbito desta ocorrência, o trânsito na Avenida da Liberdade esteve condicionado até por volta das 07:00 desta terça-feira, mas a circulação esteve sempre assegurada com uma faixa disponível para cada sentido.

/ CE/DA