São 123 os casos de hepatite A e "há vacinas suficientes" em Portugal, garantiu o director-geral de Saúde, Francisco George, esta sexta-feira a tarde. Segundo a DGS, desde 1 de janeiro foram notificados 123 casos de hepatite A.

Não há razões para alarmismo, Portugal está equipado e preparado para combater a epidemia”, garantiu o diretor-geral de Saúde, alertando os doentes para não se automedicarem e recorrerem a este serviço apenas com indicação médica..

A Direção-Geral de Saúde requisitou cerca de sete mil vacinas contra a hepatite A ao circuito comercial, que serão administradas gratuitamente e sem pagamento de taxa moderadora na Unidade de Saúde da Baixa, em Lisboa.

Segundo o diretor Geral da Saúde, a medida excecional visa combater o surto epidémico de hepatite A, que atinge Portugal bem como outros países europeus.

No final de um encontro que juntou o diretor-geral de Saúde, o Infarmed, Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Instituto Nacional Ricardo Jorge, Grupo Ativista pelo Tratamento (GAT) e a Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero (Ilga), Francisco George garantiu que Portugal tem meios para combater este surto epidémico e que há vacinas suficientes.

Francisco George disse ainda que se estima serem necessárias duas mil vacinas para contornar o problema e que, neste momento, as autoridades de saúde dispõem de sete mil doses. Estas doses encontravam-se à venda em farmácias, mas foram requisitadas no âmbito desta medida excecional.

Na quinta-feira, já o Infarmed tinha garantido à TVI24 que há vacinas suficientes para o surto de hepatite A depois de reunir com os dois fabricantes da vacina em Portugal.

O Infarmed explicou ainda que os utentes que cheguem às farmácias com a receita e esta ali não esteja disponível, as farmácias têm instruções para contactar diretamente o fabricante e obter o medicamento no intervalo de horas.

Contactado também pela TVI24, o GAT, Grupo de Ativistas em Tratamentos, confirmou que está a verificar-se uma rutura de vacinas nas farmácias. Face à garantia dada pelo Infarmed, o GAT lembra que a vacina deve ser administrada o mais rapidamente possível porque leva um mês a fazer efeito.

Na quarta-feira, na sequência do recente aumento do número de casos de hepatite A notificados na Europa e em Portugal, a Direção Geral da Saúde (DGS) emitiu uma orientação para os profissionais de saúde.


Como se transmite a Hepatite A

Diogo Medina, médico de saúde pública do GAT, explicou à TVI24 que esta doença viral se transmite de duas formas: através do consumo de água e alimentos contaminados "quando viajamos para países mais exóticos" e através de relações sexuais.

Na Europa, dado que o saneamento é melhor, a via de transmissão é sexual, sobretudo pela prática de sexo oroanal", explicou.

Diogo Medina explicou ainda que estas duas vias de contaminação previnem-se de forma diferente, apesar da vacinação ser comum às duas vias.

Em relação à viagem é beber só água engarrafada, comer só alimentos cozinhados e não crus. Na via sexual, devemos promover a higiene antes da relação sexual: promover o banho e a lavagem dos genitais".

O especialista explicou ainda que homens que têm relações com homens estão mais expostos ao risco de transmitir esta doença viral.