As autoridades acreditam que João Rendeiro poderá ser detido a qualquer momento, na sequência da emissão do segundo mandado de detenção internacional.

O ex-banqueiro entrou na lista dos fugitivos à justiça e está a ser procurado em todo o mundo e, agora, à Polícia Judiciária junta-se a Interpol e a Europol. Já o braço direito de rendeiro vai apresentar-se em tribunal esta sexta feira.

A TVI sabe que Paulo Guichard arguido no mesmo processo já informou que se vai apresentar em tribunal esta sexta-feira. O braço direito do ex-banqueiro deverá sair do Brasil nos próximos dias.

Paulo Guichard, a viver no Brasil há 12 anos, garante que não fugirá à justiça. A TVI sabe que o braço direito vai viajar nos próximos dias para Portugal para que sejam revistas as medidas de coação no processo em que está condenado a nove anos e meio de prisão.

Já no processo de falsificação da contabilidade, no qual Guichard foi condenado a uma pena de prisão efetiva de quatro anos e oito meses e rendeiro a cinco anos e oito meses, os autos já tinham seguido para primeira instância para que as penas fossem executadas, mas a defesa de Guichard contestou já que ainda há uma reclamação pendente e por isso ainda não transitou em julgado.

No caso de João Rendeiro, o tribunal entendeu o contrário e pena já pode ser executada. Para evitar que outros arguidos no processo do Banco Privado Português (BPP) possam seguir o exemplo de rendeiro. A juíza Tânia Loureiro Gomes mandou apreender os passaportes a Fezas Vital, condenado a nove anos e meio de cadeia e a Fernando Lima que tem de cumprir seis anos.

Recorde-se que o ex-presidente BPP, continua em parte incerta tem para cumprir três penas de prisão com um cumulo jurídico de de 18 anos de prisão efetiva.

Redação / JGR