O jornalista da TVI, Paulo Bastos, apresentou-nos mais uma edição da sua rubrica "A Relíquia". Desta vez, o repórter visitou o Museu do Fado, em Alfama, Lisboa. Apesar do tradicionalismo, este é um espaço que se pauta pela utilização de muita tecnologia e interatividade.

É no bairro mais antigo da capital portuguesa que está um espaço que se dedica ao fado, estilo de música eternizado por muitos, como Amália Rodrigues ou Mariza. Aqui recorda-se e revive-se aquele que é um dos patrimónios imateriais da UNESCO.

Fado era visto com um enorme preconceito, que se diluiu com o reconhecimento da UNESCO", afirma Sara Pereira, diretora do Museu do Fado.

Com uma estrutura de grande dinamismo, este espaço tenta sempre inovar.

Todo o percurso do museu é feito com audioguia, em várias línguas", afirma Sara Pereira.

Aqui guardam-se todos os pedaços de história, até mesmo os pedaços de tecido utilizados por alguns fadistas.

/ AG