Um homem de 37 anos foi absolvido do crime de violência doméstica depois de ter sido apanhado a arrastar a mulher pelo pescoço, na rua, refere o Jornal de Notícias, que cita a sentença.

A juíza Isabel Pereira Neto, do tribunal de Paredes, deu tudo como provado, mas considerou que o que aconteceu não teve a “crueldade, insensibilidade e desprezo” suficientes para que fosse considerado violência doméstica.

No entender da juíza, tratou-se “apenas de um ato, que não reveste a gravidade ínsita” a este crime.

O caso, segundo a juíza, podia ter sido considerado um crime de ofensa à integridade física, mas, para isso, tinha sido necessária queixa da vítima, o que não aconteceu.

O arguido foi ainda absolvido de três crimes de ameaças aos militares da GNR que o prenderam. Na altura, chamou-lhes “cobardes” e prometeu persegui-los. Segundo a juíza, foi só “um desabafo”.

As agressões aconteceram em outubro do ano passado, quando uma patrulha da GNR viu a mulher a ser arrastada pelo pescoço até ao carro. Perante a insistência do homem em colocar a vítima na viatura, os militares prenderam-no.

O arguido não compareceu a nenhuma sessão no tribunal e acabou então absolvido de todos os crimes.

/ CP