Uma mulher foi detida esta terça-feira por estar “fortemente indiciada pelos crimes de abuso sexual de crianças, violação agravada, de coação e de ameaças de coação sexual, ficando em prisão preventiva", informou o Ministério Público (MP).

Segundo a página da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa na Internet, a arguida, de 26 anos, “pessoa da confiança pessoal da ofendida (atualmente com 20 anos)”, é suspeita “de a ter violado e abusado sexualmente desde os seus seis anos, assim como, muitas vezes, ter usado a sua força e superioridade físicas para a imobilizar, constranger e a levar a suportar a sua conduta contra a vontade da mesma”.

A suspeita foi apresentada a 29 de novembro a um Juiz de Instrução Criminal (JIC), que, face aos “fortes indícios” da prática dos crimes, decretou a sua prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa do Código do Processo Penal.

O MP adianta que a arguida ficou em prisão preventiva “por se verificar, em concreto, intenso perigo de continuação da atividade criminosa”.

O processo está em segredo de justiça, refere o MP.