O processo de identificação dos 29 mortos no acidente com um autocarro de turismo no Caniço, ilha da Madeira, ficou concluído esta quinta-feira, informou hoje o Ministério da Justiça.

O Instituto de Medicina legal e Ciências Forenses (INMLCF) e a Polícia Judiciária (PJ) concluíram, ontem [quinta-feira], o processo de identificação das vítimas do desastre no Caniço/Madeira", refere um comunicado do gabinete da ministra da Justiça.

O trabalho conjunto das duas entidades foi hoje validado pelo Ministério Público, permitindo assim que os corpos possam agora ser transportados para a Alemanha, país de origem das vítimas mortais.

O processo respeitou os critérios e boas práticas internacionais na matéria, fundando-se em indicadores científicos de identificação", salientou o Ministério da Justiça, adiantando que "os resultados estiveram sempre dependentes da obtenção e disponibilização da totalidade de dados 'ante mortem' por parte das autoridades alemãs", como impressões digitais e registos dentários.

Os últimos dados foram recebidos durante a tarde de quinta-feira, o que permitiu concluir o processo de identificação dos cadáveres.

O desastre com o autocarro de turismo ocorreu no dia 17 de abril no Caniço, concelho de Santa Cruz, e provocou 29 mortos: 17 do sexo feminino e 12 do sexo masculino, todos de nacionalidade alemã.

Das 28 vítimas que deram entrada no Hospital Central do Funchal, 11 tiveram alta, uma faleceu e 16 ficaram internadas, das quais 14 foram transferidas para a Alemanha.

O motorista do autocarro, de nacionalista portuguesa, já teve alta hospitalar, e a guia turística, também portuguesa, permanece internada.