Um dos 14 turistas alemães feridos no acidente com um autocarro turístico, ocorrido na quarta-feira em Santa Cruz, na Madeira, foi transferido esta sexta-feira de manhã para a Alemanha e outros 12 sê-lo-ão este sábado, foi esta sexta-feira anunciado.

De acordo com o médico Miguel Reis, adjunto da direção clínica do hospital do Funchal, em conferência de imprensa, “está tudo preparado” para que a transferência de 12 doentes para a Alemanha comece pelas 8:30 de sábado e termine cerca de duas horas depois.

Veja também:

O responsável adiantou ainda que “um dos feridos já foi hoje transferido” e um outro irá continuar internado em Portugal.

A outra vítima, que irá permanecer no serviço de internamento do hospital Dr. Nélio Mendonça, não será transferida por razões clínicas", adiantou.

Miguel Reis salientou ainda que a responsabilidade desta operação de transferência será "partilhada entre o Serviço Regional de Saúde (SESARAM) e o Serviço Regional de Proteção Civil (SRPC), que irão disponibilizar meios materiais e recursos humanos".

Relativamente aos dois feridos portugueses, Miguel Reis disse que a situação está "a evoluir de forma estável e, para já, não há uma data prevista de alta para estes pacientes".

A presidente do Conselho de Administração do SESARAM, Tomásia Alves, adiantou que foram desativadas as linhas telefónicas portuguesas do gabinete de apoio às vítimas e familiares – 291 705 659, 291 705 778 e 291 705 679 -, continuando a funcionar a linha criada para este efeito a partir da Alemanha (030 5000 2000).

A responsável manifestou mais uma vez "sentidas condolências pelo falecimento das 29 vítimas e pesar pelo sofrimento causado a todas as vítimas, familiares e amigos".

O embaixador da República Federal da Alemanha em Lisboa, Cristof Weil, que também esteve presente na conferência, agradeceu a solidariedade do Presidente da República e do Governo português e de todas as pessoas envolvidas, com particular destaque à equipa do Hospital Dr. Nélio Mendonça.

Fizeram um trabalho fabuloso", declarou.

O acidente de quarta-feira, no Caniço, concelho de Santa Cruz, provocou 29 mortos. Das 28 vítimas que deram entrada no hospital na sequência do acidente, 11 já tiveram alta, uma faleceu e 16 continuam internadas.

Dos 16 feridos que estão internados, 14 são de nacionalidade alemã e dois portugueses.

Marcelo diz que deixa a ilha com missões cumpridas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou, antes de deixar a ilha da Madeira, que cumpriu as missões a que se propôs nesta visita, entre as quais homenagear as vítimas mortais do acidente com um autocarro.

O chefe de Estado aterrou na Madeira às 13:00, tendo-se dirigido logo de seguida para o local onde o autocarro turístico se despistou, onde depositou uma coroa de flores e onde cumpriu um minuto de silêncio.

De seguida, visitou os turistas alemães sobreviventes que se encontram hospedados num hotel junto ao local do acidente e foi também ao hospital falar com as vítimas que ainda estão internadas.

Marcelo Rebelo de Sousa participou depois numa cerimónia de homenagem aos que morreram, que decorreu na Igreja Presbiteriana do Funchal, deslocando-se de seguida para a Sé Catedral, onde participou numa cerimónia católica.

Depois, a convite do Bispo do Funchal, Nuno Brás, o Presidente da República integrou uma procissão religiosa, que saiu daquela igreja e terminou no mesmo local.

No final, quando se dirigia ao Palácio de São Lourenço para jantar com o representante da República, o chefe de Estado falou aos jornalistas e fez um balanço deste dia.

O balanço que faço é o de que, por um lado tive oportunidade de cumprir a primeira missão, que era a missão de homenagear aqueles que nos deixaram, falar com os familiares, visitar os feridos”, afirmou, indicando que a segunda missão foi agradecer “o trabalho excecional das instituições todas”.

Tendo cumprimentado todas, de alguma maneira cumprimentei de forma mais especial o pessoal do hospital, mas é evidente que foi um esforço coletivo, que envolveu todas as instituições, todas, que souberam estar à altura das responsabilidades”, salientou.

Marcelo apontou também que, ao participar nas duas cerimónias religiosas, uma luterana e a outra católica, conseguiu mostrar “a abertura de espírito de Portugal e da Madeira” e “juntar aqui maneiras diferentes de sentir, de viver, num dia que, para muitos que têm uma formação cristã, é muito significativo, para outros, em qualquer caso, é um dia de respeito por aquilo que se estava, de alguma maneira, a homenagear”.

E saí daqui com uma grande determinação, como saio sempre da Madeira, que é realmente um povo muito determinado, um povo muito afirmativo, muito realizador e muito corajoso. Portanto, estão cumpridas as missões a que me propunha para o dia de hoje”, vincou.

Questionado sobre a data da trasladação dos corpos dos 29 turistas alemães para o seu país de origem, Marcelo considerou que “o embaixador alemão estava a tratar disso”.

Ele está muito esperançado de que seja uma realidade desbloqueada rapidamente, apesar de estes serem dias, como sabem, dias em que isso não é muito fácil, este fim de semana longo, mas, até aí a Madeira tem estado à altura das circunstâncias”, vincou.

Sobre o socorro a todos os envolvidos no acidente, o Presidente notou que “foi excecional e reconhecido já ontem [quinta-feira] pelo Presidente alemão, também pelo embaixador alemão, que ainda cá está e fica para amanhã [sábado]”.

Indicado que também aqueles que ficaram feridos “elogiaram a forma como realmente houve capacidade de responder a uma situação gravíssima de emergência”, Marcelo Rebelo de Sousa vincou que “houve um juízo global muito favorável relativamente à excecional capacidade de resposta de todas as instituições que intervieram”.

Questionado ainda sobre o apuramento de responsabilidades, o Presidente disse que “isso está a acontecer naturalmente”.

E, portanto, em si mesmo nunca tive dúvidas sobre isso”, rematou.

Concluídas autópsias e recolha de dados 'post mortem' das vítimas

O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF) e a Polícia Judiciária concluíram esta sexta-feira o trabalho de autópsia e recolha de dados ‘post mortem’ relativos às vítimas, indicou o Ministério da Justiça.

Em comunicado, o Ministério avança que se aguardam agora dados como impressões digitais e fichas dentárias por parte das autoridades alemãs, “processo sempre complexo nestas ocasiões, e que se perspetiva que venha a ocorrer durante o dia de amanhã [sábado]”.

Estes elementos são necessários para comparação e confirmação das identidades”, lê-se no comunicado.