José Lemos, o pai do rapaz que foi atropelado quando fugia dos colegas, confessa que ao ver as imagens do acidente sentiu "uma profunda tristeza" perante a "falta de educação e a falta de princípios" reveladas pelos colegas: "É simplesmente chocante", disse à TVI.

O jovem foi atropelado na quinta-feira na Estrada Nacional 10-2 no Seixal, distrito de Setúbal, na sequência de ser vítima de uma alegada prática de 'bullying', como se pôde concluir de um vídeo que foi partilhado nas redes sociais. 

Com pouco mais de um minuto, o vídeo começa com uma jovem a dar um murro no ombro do rapaz, vítima que depois tentou seguir caminho, mas foi perseguido pelo grupo de alunas, ouvindo-se alguém a dizer "ele está a chorar" e "isso é 'bullying'".

O grupo de jovens estava junto ao passeio da EN 10-2, em Vale da Romeira, no Seixal, e quando o rapaz tentou fugir atravessou a estrada e acabou por ser atropelado por uma viatura que circulava nesta via, inclusive vê-se e ouve-se no vídeo o estrondo do embate.

O meu filho está a recuperar, mas poderia não estar aqui presente entre nós", afirma o pai, José Lemos, chocado com a situação. 

A Direção Nacional da PSP confirmou que "registou o acidente, tendo já identificado todos os intervenientes nas agressões, em estreita colaboração com a escola", sem avançar mais informação sobre a ocorrência, nomeadamente o estado em que se encontra a vítima.

"Do ocorrido foi também dado conhecimento à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e ao Ministério Público da área", referiu a PSP.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou entretanto que “os factos deram lugar à instauração de inquérito tutelar educativo, que corre termos na Ministério Público do Juízo de Família e Menores do Seixal”.

O inquérito tutelar educativo é de natureza reservada e encontra-se previsto na Lei Tutelar Educativa, quando estão em causa factos qualificados pela lei como crime, praticados por menor entre os 12 e os 16 anos”, afirmou a PGR, em resposta escrita à Lusa.

De acordo com o Diário do Distrito, jornal de Setúbal, os jovens são alunos da Escola Básica Dr. António Augusto Louro, na Arrentela, no Seixal, e, após o atropelamento, não prestaram auxílio ao rapaz, que sofreu ferimentos ligeiros.

Redação / MJC