A operação de vacinação em massa das ilhas dos Açores sem hospital, denominado de “Periferia”, prevê vacinar na ilha Graciosa 1.200 pessoas, sendo esta a terceira parcela abrangida após Santa Maria e Flores.

O diretor regional da Saúde, Berto Cabral, na abertura do centro de vacinação, manifestou “satisfação pela forma como o processo se está a desenvolver nas Graciosa, e pela adesão em massa dos graciosenses, logo no início da operação”.

Segundo uma nota de imprensa da Secretaria Regional da Saúde e Desporto, estão no terreno profissionais de saúde da Unidade de Ilha da Graciosa, a equipa militar que se encontra nos Açores e três enfermeiros do Serviço Regional de Saúde.

No fundo, replicamos na Graciosa o modelo que temos seguido nas ilhas por onde já passamos. Este modelo revela-se eficaz, quer pela competência dos profissionais de saúde envolvidos, quer pela agilização do processo”, referiu Berto Cabral.

O diretor regional da Saúde espera que até ao final do dia a adesão mantenha os níveis esperados, “até porque a consciencialização das pessoas para a vacinação é evidente quer aqui na Graciosa, quer nas ilhas onde a vacinação ocorreu nestes moldes”.

O responsável está “muito satisfeito” e “otimista para atingir o objetivo, que é imunizar rapidamente as ilhas sem hospital, conforme anunciado”.

De 31 de dezembro de 2020 e até 04 de junho foram administradas nos Açores "146.999 doses de vacina contra a covid-19, correspondentes a 92.036 pessoas com 16 ou mais anos com a primeira dose, e 54.963 pessoas com ambas as doses".

Desde o início da pandemia foram diagnosticados nos Açores 5.856 casos positivos de covid-19, tendo recuperado da doença 5.378 pessoas e morrido 33.

A pandemia de provocou, pelo menos, 3.775.362 mortos no mundo, resultantes de mais de 174,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal morreram 17.043 pessoas dos 855.432 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

/ CE