A Polícia Judiciária (PJ) deteve nos Açores dois homens, um dos quais "se apresentava como solicitador", suspeitos de "burlaram várias pessoas" em "dezenas de milhares de euros" em São Miguel entre 2017 e 2020, foi anunciado esta quinta-feira.

Em comunicado enviado às redações, o Departamento de Investigação Criminal dos Açores da PJ adianta que as detenções dos dois homens, de 43 e 53 anos ocorreram em São Miguel, com base em "fortes indícios da prática dos crimes de burla qualificada, usurpação de funções e falsificação de documentos".

A investigação em causa "reporta-se a factos ocorridos entre os anos de 2017 e 2020", período em que, segundo a PJ, "os arguidos, com diferentes graus de participação, burlaram várias pessoas, produzindo-lhes um prejuízo patrimonial total de dezenas de milhares de euros".

Um dos arguidos, que se apresentava como solicitador - condição que não possui – foi contratado pelos ofendidos, para mediar transações de compra de imóveis e de terrenos", explica a PJ.

Quanto ao segundo arguido, "desempenhava diversos papeis, num dos casos o de suposto representante legal do vendedor e, noutra situação, o de agente de execução, no âmbito de uma ação judicial de penhora de bens", avança o comunicado.

Os detidos já foram presentes às autoridades judiciárias, "tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de proibição de contactar com as vítimas", informa o comunicado.

O detido de 43 anos ficou também obrigado a apresentações diárias às autoridades.

/ AG